Tamanho do texto

Segundo o Datafolha, candidato tem 59% dos votos válidos contra 41% de Haddad; porém, sua presença nos debates contra o petista é bem requisitada

Apesar do apelo do eleitorado, não é provável que vejamos Bolsonaro nos debates; entenda as declarações do candidato
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Apesar do apelo do eleitorado, não é provável que vejamos Bolsonaro nos debates; entenda as declarações do candidato

A última pesquisa Datafolha, divulgada na noite dessa quinta-feira (18), aponta que a presença do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, nos debates presidenciais antes do segundo turno das eleições 2018, é requisitada pela maioria dos brasileiros. Segundo os dados, 73% dos eleitores querem Bolsonaro nos debates. 

Leia também: PT pede que TSE investigue "caixa dois de Bolsonaro"; MP vai apurar o caso

Isso significa que três a cada quatro brasileiros entrevistados acreditam que o candidato do PSL deveria comparecer a debates contra seu adversário, Fernando Haddad (PT). Porém, apesar do apelo do eleitorado, não é provável que vejamos Bolsonaro nos debates . Afinal, também ontem, ele declarou que não pretende comparecer a nenhum encontro com Haddad.

Bolsonaro afirmou, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais, que não pretende participar de nenhum  debate político  e que nem tem a intenção de fazer campanhas de rua, no chamado corpo a corpo. Isso porque, segundo ele, teme pela própria segurança.

Mais cedo, o médico Antônio Luiz Macêdo, chefe da equipe que operou Bolsonaro, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, liberou o candidato para os debates. O médico disse que o candidato do PSL poderia participar das discussões, desde que durassem, no máximo, 30 minutos, e ele ficasse confortável, de preferência em uma poltrona. 

Após ele ser liberado clinicamente, porém, o presidente nacional do PSL, Gustavo Bebiano, afirmou que  Bolsonaro não iria participar de debates com Haddad , pois não tem obrigação de comparecer aos eventos promovidos por emissoras de televisão.

"Não vai se submeter a uma situação de alto estresse sem nenhum motivo, porque quem discute com poste é bêbado”, afirmou. Além disso, o presidente do PSL argumentou que a colostomia pode causar desconforto ao candidato.

Ainda segundo o Datafolha, 23%  dos brasileiros consideram que o presidenciável não deveria comparecer aos debates e, por fim, 4% não souberam responder à pergunta. Dos entrevistados, 67% disseram considerar os debates políticos como importantes para a decisão de voto nas eleições, 13% disseram considerar “um pouco importante”, e 19% não levam os encontros em consideração na hora de escolher seus candidatos.

Leia também: Sem previsão de debates, Bolsonaro e Haddad têm agenda paralela no Rio hoje

Sem a presença de Bolsonaro nos debates , o que o eleitorado tem em suas mãos são os constantes tweets do presidenciável e ao menos uma aparição diária ao vivo dele no Facebook. Foi, inclusive, em uma dessas aparições que o candidato exibiu a bolsa de colostomia que carrega, em detrimento do ataque sofrido em Juiz de Fora.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.