Tamanho do texto

Candidato petista participa de ato em homenagem ao dia dos professores; o do PSL, por sua vez, aguarda avaliação médica para definir sua agenda oficial

Enquanto Bolsonaro aguarda por avaliação médica e não teve agenda oficial divulgada, Haddad vai a evento em São Paulo
Arquivo/Agência Brasil
Enquanto Bolsonaro aguarda por avaliação médica e não teve agenda oficial divulgada, Haddad vai a evento em São Paulo

Na reta final das eleições para a Presidência da República, o candidato Fernando Haddad (PT) divulgou sua agenda para esta segunda-feira (15), em São Paulo. Por sua vez, Jair Bolsonaro (PSL) aguarda a próxima quarta-feira (17) para definir o roteiro de viagens e se irá participar dos debates. Por enquanto, sua agenda oficial ainda não foi divulgada. 

Leia também: Bolsonaro tem 59% dos votos no 2° turno; Haddad, 41%, diz pesquisa BTG/FSB

O dia de Haddad hoje será em São Paulo, onde estará em atos de apoio e falará com a imprensa. Nesta manhã, deu entrevista a Rádio Bandeirantes. O petista também participará de um ato em homenagem ao dia dos professores e, no mesmo horário, segundo a agenda oficial , Manuela d’Avila (PCdoB), sua vice, estará em outro evento em Porto Alegre. 

Na próxima quarta-feira, Bolsonaro será examinado por uma junta médica e, a partir da avaliação, vai definir sua participação em debates e viagens. Segundo vídeo postado em seu Facebook hoje, até lá, sua campanha continua nas redes sociais. Também serão aguardadas reuniões com apoiadores ao longo do dia.

Nas redes sociais, ambos fizeram homenagens ao dia dos professores. "Quando você entra em uma sala de aula, você não pergunta se o aluno é corintiano ou torce pro Bahia, se ele é judeu ou muçulmano, se é preto ou branco. Você apenas se doa. Se doa para que as pessoas aprendam e se desenvolvam. Essa é a missão de vida de um professor", escreveu Haddad em seu Twitter. 

Leia também: Ministro do TSE manda retirar informações falsas sobre Haddad do ar

Bolsonaro fez um post em seu Facebook sobre a data. "A inversão de valores dificulta a autoridade do professor em sala de aula. São muitos os relatos e registros de agressão, desrespeito e humilhação. Resgatar a referência que sempre representaram é também uma forma de valorizá-los. Também como professor de Educação Física que sou digo-lhes que estamos juntos na construção do Brasil que merecemos!" escreveu. 

No último sábado (13), o candidato do PSL disse que concordava em ir a debates, desde que seja "sem interferência externa", referindo-se à influência do ex-presidente Lula na campanha de Haddad.

Leia também: Campanha de Bolsonaro pede que vídeo com ataque ao STF seja retirado do ar

"Se for debate só eu e ele (Haddad), sem interferência externa (de Lula), eu topo comparecer. Estou pronto para debater; tem de ser sem participação de terceiros", afirmou. A agenda oficial do candidato em relação aos debates ainda não foi divulgada. 

* Com informações da Agência Brasil