Tamanho do texto

Bolsonaro está fora de perigo, informou a equipe médica; em dois meses, candidato pode ter de passar por nova cirurgia no abdômen

Candidato à Presidência, Jair Bolsonaro é visto sendo carregado após sofrer agressão durante campanha em Juiz de Fora
Reprodução/Twitter
Candidato à Presidência, Jair Bolsonaro é visto sendo carregado após sofrer agressão durante campanha em Juiz de Fora

O candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) foi operado para estancar uma hemorragia em veia abdominal.

Leia também: Homem que esfaqueou Bolsonaro é defensor de teorias da conspiração

O deputado federal teve o intestino delgado costurado e parte do intestino grosso retirada. O procedimento foi necessário após Bolsonaro ter recebido uma facada no abdômen quando participava de ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

Em entrevista coletiva nesta noite, a equipe médica que o atendeu na Santa Casa de Juiz de Fora informou que o militar reformado ficará hospitalizado por, no mínimo, uma semana. "Depois, ainda será preciso um período de repouso", disse a equipe médica.

Houve a necessidade de realizar uma colostomia, e por isso, em até dois meses, ele provavelmente terá de ser operado novamente. 

"Optamos por fazer uma ressecção da lesão e colocamos uma colostomia, dada à gravidade do paciente. As lesões que colocavam em risco o vida do paciente foram tratadas e ele está estável no momento", disse um dos médicos.

Leia também: Ataque à faca contra Jair Bolsonaro repercute na imprensa internacional

"As lesões causadas por armas brancas têm em tese risco para a vida. Neste momento o paciente não tem condições de ser transferido", afirmou, acrescentando, ainda, que dado seu quadro de saúde o candidato não poderá ser transferido para outro hospital nos próximos dias. 

Inicialmente, o deputado estadual Flávio Bolsonado (PSL-RJ), filho do presidenciável, havia informado, em seu Twitter, que a perfuração atingiu parte do fígado , do pulmão e da alça do intestino. No entanto, os médicos disseram que o problema se concentrou na hemorragia em uma veia abdominal e nos ferimentos no intestino. O candidato está fora de perigo, consciente e respira sem ajuda de aparelhos. 

O autor do ataque a Bolsonaro  foi preso pela Polícia Militar da cidade. A Polícia Federal, responsável pela segurança do candidato, abriu inquérito para investigar o caso.

* Com informações da Agência Brasil 

Leia também: Candidatos comentam ataque a faca contra Bolsonaro e pedem punição a responsável