Tamanho do texto

Influenciadores digitais teriam sido contratados para fazer publicações a favor de candidatos petistas; presidente do partido nega pagamentos

Wellington Dias é candidato ao governo do Piauí pelo PT e foi um dos petistas apoiados pelos influenciadores digitais
Reprodução/Facebook Wellington Dias
Wellington Dias é candidato ao governo do Piauí pelo PT e foi um dos petistas apoiados pelos influenciadores digitais

Os ministérios públicos eleitorais de Minas Gerais e do Piauí abriram nesta segunda-feira (27) procedimentos para analisar se houve irregularidades envolvendo o suposto pagamento de  influenciadores digitais para fazer campanha para candidatos do PT.

O caso repercutiu no final de semana quando Piauí ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. As publicações nas redes sociais mostravam influenciadores digitais fazendo postagens sobre o candidato a reeleição para governador Wellington Dias.

A ação foi denunciada pela jornalista e também influencer Paula Holanda. Em seu perfil no Twitter, ela disse que foi procurada por uma representante de uma agência de marketing digital, a Lajoy.

Paula publicou suposto briefing em que uma pessoa chamada Isabella Bomtempo, da agência, convidou-a para participar de ação "de militância política para a esquerda. No trecho divulgado no Twitter não havia menção a pagamentos.

Leia também: Selena Gomez tucana? Diretório do PSDB em Sergipe usa foto de cantora em painel

Uma das empresas apontadas como como recrutadora destes influenciadores é a BeConnected, sediada em Belo Horizonte, e que tem um assessor de um deputado federal Miguel Corrêa (PT-MG), candidato ao Senado, como sócio.



A presidente do PT , senadora Gleisi Hoffmann, comentou a polêmica envolvendo os influenciadores que teriam sido pagos para fazer propaganda de políticos do partido no Twitter. A senadora defendeu que o “PT nunca adotou esse tipo de prática”.

Leia também: PT lidera, com 24%, preferência partidária junto ao eleitorado

Durante entrevista coletiva, após visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Gleisi Hoffmann afirmou que o PT nunca pagou influenciadores digitais para falar de candidatos nas redes sócias. “Estamos averiguando isso e queremos esclarecer essa situação”, afirmou a presidente do partido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.