Tamanho do texto

Gastão Schefer Neto, membro da Polícia Federal, foi ao acampamento pró-Lula na manha desta sexta-feira e quebrou o equipamento de som utilizado pelos militantes; ele será denunciado pelo PT

Acampamento intitulado de Marisa Letícia foi alvo de tiros na madrugada de sábado (28)
Reprodução/Twitter/Bê Rodrigues
Acampamento intitulado de Marisa Letícia foi alvo de tiros na madrugada de sábado (28)

Um dos delegados da Polícia Federal de Curitiba, Gastão Schefer Neto, invadiu o acampamento pró- Lula armado nas imediações do prédio onde o ex-presidente está detido e quebrou o sistema de som utilizado pelos defensores do petista.

Leia também: "Foi intencional", diz delegado sobre disparos contra a caravana de Lula

Ele foi denunciado pelos militantes que presenciaram e gravaram o ato de vandalismo do delegado. Ele foi levado pelos policiais militares e liberado poucos minutos depois.

Gastão Neto foi ao acampamento na parte da manhã, instantes antes do grito de “bom dia, presidente”, repetido diariamente pelos apoiadores de Lula que dormem no local. Membros do PT que se encontravam no acampamento o reconheceram como sendo membro da PF. De acordo com a deputada estadual Márcia Lia (PT-SP), ele estava bastante nervoso e alegava dificuldades para dormir.

Lia acrescentou ainda, ao jornal Folha de S.Paulo , que a denúncia contra Neto será apresentada em Brasília. “Percebemos que, da República de Curitiba, não sairá nada”, ironizou.

Tiros no acampamento

Este foi mais um dos diversos episódios de violência que têm acontecido contra os manifestantes favoráveis à Lula no acampamento em Curitiba. O mais grave se deu no último sábado (28), quando tiros foram disparados contra os militantes. Duas pessoas ficaram feridas e uma delas, Jeferson Lima de Menezes, de 38 anos, foi alvejada no pescoço e corre risco de morte.

Leia também: Suspeita de lavagem de dinheiro, filha de Temer presta depoimento à PF hoje

A vigília " Lula Livre" localizada na Rua Padre João Wislinski no bairro Santa Cândida, em Curitiba, foi alvo de 20 tiros por volta das 4h dessa madrugada. Ainda não há confirmação de quantos tiros foram disparados nem de quem seria o autor dos disparos. Testemunhas que integram o acampamento na capital paranaense, repudiaram o ataque e informaram que ele foi efetuado por uma pessoa, não identificada, que foi até o local de carro.

A presidente do PT , Gleisi Hoffmann , afirmou que recebeu informações da direção estadual do partido de que "pessoas passaram gritando e se manifestando de forma contrária várias vezes durante a madrugada" e que carros estavam rondando o local desde às 2h da manhã. A senadora também cobrou que providências fossem tomadas por parte das autoridades de segurança.

Leia também: STF inicia julgamento virtual de recurso de Lula contra a prisão; entenda aqui

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.