Ministro da Justiça tem histórico de críticas às ações da Operação Lava Jato, mas afirmou que
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil - 5.6.2017
Ministro da Justiça tem histórico de críticas às ações da Operação Lava Jato, mas afirmou que "é imparável" e "bem social"

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim , está em Washington, nos Estados Unidos, onde participou de uma palestra no Woodrow Wilson Center, nesta quarta-feira (19), sobre a Independência e Harmonia entre os Poderes. No evento, defendeu a Lava Jato, afirmando que a operação é “imparável”.

Leia também: Banco Central bloqueia cerca de R$ 600 mil das contas do ex-presidente Lula

Durante o evento, o ministro de Justiça ainda afirmou que a Lava Jato, realizada pela Polícia Federal do Brasil, é um “ganho para a sociedade”. Além da operação, Jardim abordou sobre as divisões de competências e de recursos nos âmbitos federal e estadual no País, ainda defendendo que “com a atual restrição fiscal em todos os níveis do governo, muitas vezes é preciso priorizar uma ou outra política pública”.

Na terça-feira (18), Jardim assinou um acordo de cooperação para o rastreamento de armas roubadas que entram no Brasil durante um encontro com o diretor da Agência de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos dos Estados Unidos.

“Com a pacificação da Colômbia, armas pesadíssimas roubadas nos Estados Unidos começam a entrar no Brasil, e, pela lei americana, eles têm a obrigação de tentar encontrar essa arma onde ela estiver no mundo. Faz parte do objetivo maior da nossa viagem buscar tecnologia no âmbito de segurança pública”, explicou.

Você viu?

Leia também: Temer solicita acesso a gravações periciadas pela Polícia Federal

O político brasileiro ainda irá participar de reuniões na Agência Internacional para Narcóticos e Aplicação da Lei, do Departamento de Estado dos EUA, e com o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, com quem conversará sobre a integração com os países que fazem fronteira com o Brasil.

“Faremos um convite para que os países membros [da OEA] mandem agentes de segurança e policiais especializados no combate a drogas e armas para estudar no País, participando de um treinamento na Polícia Federal, que tem uma academia bem instalada e competente, para que haja uma comunhão de treinamento”, afirmou Jardim.

Leia também: Marcos Valério fecha acordo de delação premiada com a PF

O ministro da Justiça também pode se encontrar com o secretário de Justiça norte-americano, Jeff Sessions. No encontro, os dois devem abordar a questão da integração dos órgãos do Ministério da Justiça: Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Secretaria Nacional de Segurança Pública [responsável pela gestão da Força Nacional], Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e Departamento Penitenciário Nacional. “Antes de pensar em concurso público e em contratar mais funcionários, vamos pensar em integrar a todos”, disse o ministro da Justiça.

*As informações são da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários