Após tentativa de roubo a véiculos, que deu início à reação a tiros, suspeitos tentaram fugir a pé do local
Reprodução
Após tentativa de roubo a véiculos, que deu início à reação a tiros, suspeitos tentaram fugir a pé do local

Uma tentativa de assalto ao carro onde estava o presidente da Câmara Municipal de Duque de Caxias, o vereador Celso Luis Pereira do Nascimento, o Celso da Alba (MBD), deixou ao menos quatro suspeitos feridos na tarde desta quarta-feira (26), na Rua 25 de Agosto, no bairro de mesmo nome, em Caxias, na Baixada Fluminense. De acordo com o parlamentar, ele havia acabado de deixar o gabinete e seguia para vistorias na cidade, quando cinco homens armados tentaram assaltar veículos na via em que ele transitava.

Imagens de câmeras de segurança de uma empresa mostra o momento em que um carro preto com quatro homens armados descem e tentam abordar dois veículos, entre eles o do político caxiense. O motorista do primeiro carro consegue fugir. Já o segundo utilitário era a Hilux blindada onde estava Celso, de onde partiram os primeiros disparos. Em seguida, os seguranças do parlamentar, que estavam em outro carro, também começaram a atirar, o que causou corre-corre. As câmeras de segurança ainda mostraram o momento que os criminosos ainda tentaram fugir e foram perseguidos pelo carro onde estava o vereador.

"Foi uma tentativa de assalto. Era por volta das 16h, quando a gente passava pela (Rua) 25 de Agosto. O meu carro era a Hilux. Em determinado momento esses cinco criminosos pararam e tentaram assaltar os carros, incluindo o meu. Houve uma troca de tiros e quatro foram baleados", disse Celso da Alba. O vereador contou que tem cobrado do estado mais seguranças para sua cidade.

"A gente tem cobrado da Secretaria de Segurança mais ações de segurança. Pedimos que eles intensifiquem o patrulhamento na cidade", destacou.

Imagens de redes sociais mostram os criminosos baleados e a Guarda Municipal de Caxias e a Polícia Civil fazendo a perícia do local, na Avenida Brigadeiro Lima e Silva, no bairro Parque Duque. O caso foi registrado na 60ª DP (Campos Elíseos), mas transferido para a 59ª DP (Caxias).

Segundo a Secretaria municipal de Saúde de Caxias, Gabriel Santos da Silva, de 22 anos, deu entrada na unidade de Saúde, às 17h42, vítima de "perfuração por arma de fogo em pelve, sem orifício de saída”. O suspeito passou por uma cirurgia de emergência e no momento seu estado de saúde é estável e ele segue na enfermaria, segundo a pasta. Também foi levado para o hospital Wellington Henrique Alves Oliveira, de 26 anos. A direção da unidade destacou que ele chegou às 17h46, vítima de perfuração por arma de fogo "toracoabdominal esquerda e braço esquerdo. Foi submetido a cirurgia de emergência, está sedado e intubado. No momento seu estado é grave e está no CTI pós operatório”. A Prefeitura de Caxias não informou o nome e nem o estado de saúde dos outros dois suspeitos baleados e que deram entrada no local.

Leia Também

Em nota, a Polícia Militar afirma que "após cessarem os disparos, policiais do Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) localizaram um criminoso portando uma pistola em um matagal e um policial civil prendeu outros três indivíduos com um revólver cal. 38".O veículo usado pelo grupo criminoso foi apreendido.

Presidente redobrou segurança após morte de colega

A morte do segundo vereador em exercício em 2021 em Duque de Caxias, acendeu o sinal de alerta em outros parlamentares. O presidente da Câmara reforçou sua segurança pessoal depois de receber ameaças anônimas. Celso foi um dos vereadores mais votados da cidade e assumiu a liderança da Casa pela primeira vez.

"As mortes de Danilo (em março de 2021) e de Quinzé (em agosto) representam um duro golpe para a política caxiense. Silenciaram dois vereadores eleitos democraticamente pelo nosso povo. Eu tomei as minhas providências, aumentei minha segurança e da minha família e evito certos trajetos em alguns horários. Estou preocupado com a população e os vereadores da cidade que convivem diariamente com essa insegurança", afirmou Celso.

O vereador se referia às mortes de Danilo Francisco da Silva (MDB), conhecido como Danilo do Mercado, e o filho dele, Gabriel da Silva, de 25 anos, e de Joaquim José Quinze Santos Alexandre, o Quinzé, executado a tiros em agosto.

O presidente da Câmara de Caxias diz estar cobrando uma resposta das autoridades para a elucidação dos crimes. Ele acredita, entretanto, que a sensação de insegurança está generalizada no município:

"A sociedade como um todo está acuada dentro de casa. A Prefeitura tem um projeto de “smart city” com o Estado e o Governo Federal para instalação de câmeras de segurança na cidade toda. Isso vai ajudar na diminuição dos crimes. A Câmara está junto com o Poder Executivo."

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários