Tamanho do texto

De acordo com os Policiais Militares que realizaram a operação na Rua Alba, o cão Dilan precisou apenas de instantes para encontrar 10 kgs em terreno

Ações certeiras e sempre com resultados positivos. O Canil da PM se especializou em minar a força do tráfico de drogas no Estado de São Paulo. Quando os homens e os cães do Batalhão de Choque estão nas ruas, os criminosos vão pagar por seus crimes.

Leia também: COE resgata 12 estudantes que estavam perdidos na Serra do Mar

Canil da PM realizou operação conjunta com os PMs do Comando Força Patrulha do 11º Batalhão
Divulgação/Canil PMESP
Canil da PM realizou operação conjunta com os PMs do Comando Força Patrulha do 11º Batalhão

Na tarde desta terça-feira (16), quatro viaturas do Canil da PM faziam patrulhamento de rotina pela região do Aeroporto de Congonhas, zona sul da capital paulista, quando resolveram fazer uma incursão na comunidade Beira Rio.

"Deixamos uma viatura no patrulhamento e fomos com as outras três para dentro da favela. Eram 9 PMs e o cão Dilan. Durante a incursão, nós acabamos não encontrando nada. Fizemos a varredura toda, mas estava limpo", conta o Tenente Sampaio.

Porém, a favela Beira Rio faz divisa com a Alba, um local de alta periculosidade. "Ali é uma continuação. Chegamos ao final de uma comunidade e já era os fundos da outra. Quando chegamos, nós encontramos com o Tenente Bastos do Comando Força Patrulha do 11º Batalhão. Era uma operação deles de combate ao tráfico e pediu nosso apoio, já que estávamos no bairro", segue o Tenente.

Leia também: COE ataca tráfico internacional e prende construtor de túneis em ação com a PF

Os Policiais do Batalhão de área já tinham prendido dois criminosos, mas com eles foi encontrada uma pequena quantia de drogas. "O Tenente Bastos desconfiava que ali pudesse ter muito mais e pediu uma incursão com cães no local onde funcionava a 'biqueira' dos traficantes detidos", diz o Tenente Sampaio.

De acordo com o Policial, não demorou nem 1 minuto para o entorpecente ser encontrado. O cão Dilan entrou em um terreno baldio onde tinha lixo, entulho e muita madeira e achou 10 quilos de drogas (7,9 kg de maconha, 0,8 kg de cocaína, 0,4 kg de crack). "Aproximadamente 4 quilos de droga ele encontrou assim que entrou no terreno, estava sob a madeira. E aos poucos ele foi achando restante que estava espalhado pelo local", conta o Tenente.

Ainda de acordo com o Tenente, a droga apreendida pelo Canil devia ser a quantia ser vendida no dia. "Sabemos que tem um movimento muito grande do tráfico na Alba. Pegamos toda a droga porcionada, pronta para venda. O cara vende a porção e volta nesse local para pegar mais para vender. Foram dois presos. Um maior de idade que já tinha passagem e uma garota menor de idade", finaliza.

A ocorrência foi apresentada pelas equipes do 11º Batalhão no 35º Distrito Policial. Os presos vão responder pelo crime de tráfico de drogas.

Quais são as raças o Canil da PM usa?

Canil da PM faz parte do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado de São Paulo
Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Canil da PM faz parte do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado de São Paulo

São seis as raças da Polícia Militar : Pastor Alemão, Pastor Holandês, Pastor Belga Malinois, Rottweiler, Bloodhound e Labrador. As missões de cada raça são divididas de acordo com suas habilidades específicas, como: faro, resistência, inteligência, agressividade, etc...

Leia também: PM Ambiental prende caçador de animais silvestres no litoral de São Paulo

Um Labrador, por exemplo, não é indicado para fazer policiamento ostensivo, porque geralmente não possui a agressividade necessária. Normalmente, o Labrador é usado para farejar entorpecentes e explosivos. Já o Pastor Belga Malinois é utilizado pelo  Canil da PM  para policiamento e também faro. O Bloodhound tem aptidão para busca de pessoas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.