Tamanho do texto

Grupo de estudantes entrou na mata para realizar trabalho da faculdade, mas acabou se perdendo durante horas entre as trilhas da região

O Comandos e Operações Especiais (COE) da Polícia Militar  do Estado de São Paulo deu uma importante demonstração de como é perigoso se aventurar pelas matas que cortam o Brasil. Qualquer trilha precisa ser feita por pessoas preparadas, pois se perder em uma situação dessas representa um grande risco.

Leia também: Comandos e Operações Especiais - Conheça a tropa de elite da Polícia Militar/SP

COE realiza resgate de estudantes na Serra do Mar
COE
COE realiza resgate de estudantes na Serra do Mar

Na última sexta-feira (12), o COE foi acionado por volta das 23h para resgatar um grupo de jovens que estaria perdido próximo ao Vale da Morte na Serra do Mar, um local perigoso, com mata fechada, cobras e risco de queda.

Ao todo, eram 12 pessoas perdidas. "O pessoal da faculdade estava fazendo um trabalho sobre esportes radicais na selva. Eu e minha irmã fomos acompanhar e junto com a gente ainda tinha umas pessoas que possuíam uma experiência naquelas trilhas", conta Murilo Oliveira.

Os jovens passaram o dia andando pela mata e só perceberam que estavam perdidos no final da tarde. "Algumas pessoas queriam tentar sair e outras eram a favor de chamar por socorro. Minha irmã tinha batido a perna e uma mulher estava com as costas travada. O desgaste físico era muito grande", continua Murilo.

Leia também: COE ataca tráfico internacional e prende construtor de túneis em ação com a PF

Foi nessa hora que entraram em cena os Policiais do COE. "O Corpo de Bombeiros acionou o Batalhão de Choque da PM e nós começamos a nos movimentar. Uma das vítimas conseguiu contato com o CB, ela passou a localização aproximada. Segundo ela, o grupo estava perto de um precipício, uma queda muito grande e perigosa", diz o 1º Sargento Soares.

Cinco PMs entraram na mata por volta da 0h do sábado e começaram a caminhada até o local indicado. "Pelo telefone, eles avisaram que estavam perto da Cachoeira da Fumaça. Fizemos uma caminhada de aproximadamente 1h30 até encontrar o grupo. Eles ficaram assustados com a nossa presença. Tinha gente que achava que ia morrer, que não encontraria o caminho de volta. Eles estavam bem cansados. E ainda tinha o caminho de volta", revela o Sargento Soares.

As vítimas e a equipe de resgate fizeram uma caminhada de 2h30 até chegar na Rodovia Deputado Antônio Adib Chamas, próximo à Paranapiacaba. "Ninguém precisava de atendimento médico. Estavam exaustos, mas bem de saúde. Demos água e começamos a voltar. Foi um processo mais demorado devido ao fato de estarem com uma fadiga muito grande" diz o PM. 

Leia também: Ação rápida da Polícia Militar salva criança vítima de afogamento em São Paulo

Por volta das 6h da manhã do sábado, os operadores do COE tiraram todos da mata com segurança. "Foi um atendimento totalmente excelente. Eles deram total apoio. Foi muito bom. Uma das pessoas que estavam com a gente era ateu, mas acabou se convertendo quando conseguiu ser resgatado", finaliza Murilo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.