Tamanho do texto

Policiais cumpriam oito mandados de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira em locais suspeitos de serem fábricas na capital e grande SP

A Polícia Militar Ambiental realizou uma megaoperação na manhã desta quarta-feira (20) para combater o crime de fabricação e venda de balões. Os Policiais cumpriram oito mandados de busca e apreensões na capital e também na grande São Paulo.

Leia também: Sem pausa para Copa do Mundo, ROCAM captura criminosos nas ruas de São Paulo

Material apreendido pela Polícia Militar Ambiental durante operação em São Paulo
Divulgação/PMAmbiental
Material apreendido pela Polícia Militar Ambiental durante operação em São Paulo

De acordo com o Capitão Sukaitis da Polícia Militar Ambiental , três pessoas foram presas durante a operação, 57 balões foram apreendidos e vasto material para produção do artefato foi encaminhado para o Distrito Policial.

"Duas fábricas foram fechadas em residências da capital, uma na zona leste e outra na zona norte. Nos dois locais, uma pessoa foi presa com material para produzir balões. Em Santo André, nós apreendemos 56 balões prontos para venda. O proprietário dessa residência recebeu uma multa de R$ 280 mil. Os outros dois que foram presos na capital já haviam sido detidos pelo mesmo crime e receberam R$ 5 mil em multas, cada um", afirma o Capitão.

Leia também: Polícia Militar Ambiental flagra pesca subaquática proibida no interior de SP

Segundo investigação da PMA, os criminosos presos na manhã desta quarta-feira fazem parte de grupos que fazem a confecção e soltura dos artefatos. Com eles, os PMs apreenderam camisas de equipes de balão, além de varetas de bambu, papel de seda, cola, argolas coloridas, balança de precisão e até um troféu de competição.

Risco dos balões

A fabricação e comercialização clandestina de balões representa multiplos riscos para a sociedade, a começar pela aviação. Balões ilegais são um verdadeiro pesadelo para os pilotos, podendo causar desde colisões até a necessidade de efetuar manobras evasivas abruptas, causando interrupção e atrasos de pousos e decolagens. Um balão de apenas cinco metros pode derrubar um avião.

No início de 2018, a PM Ambiental apreendeu um balão de aproximadamente 40 metros
Divulgação/PM Ambiental
No início de 2018, a PM Ambiental apreendeu um balão de aproximadamente 40 metros

Balões ilegais também são grandes agressores da população que esta no solo, causando todo tipo de problemas, a começar pela interrupção no fornecimento de energia elétrica. É mais comum do que se imagina, esses artefatos incendários cairem sobre cabos condutores das linhas de transmissão e de distribuição de eletricidade, e até mesmo dentro de subestações, causando curto-circuitos e incendios, e tendo como conseqüência a interrupção de energia em uma grande área da cidade.

Do ponto de vista ambiental, os balões são um dos seus piores inimigos, com grande potencial ofensivo. Ao cair em matas e florestas o incendio é praticamente garantido, causando destruição não apenas a flora, mas também colocando em risco o habitat e vida de animais.

Leia também: Entenda como o Comando de Choque da PM atuou na greve dos caminhoneiros

Além disso, os balões não tripulados também causam danos ao patrimonio publico e privado ao cair sobre edificações e causar incendios. Para piorar essa situação, verdadeiros bandos de criminosos invadem residencias, pulam muros e sobem em telhados para conseguir "troféus" e recuperar partes dos balões. Segundo a Polícia, esses bandos são verdadeiras quadrilhas organizadas que, não raramente, portam armas de fogo colocando em risco a vida do cidadão de bem.

Em 2017, a Polícia Militar Ambiental fechou 26 fábricas de balões,  apreendeu 194 balões e recolheu material suficiente para a produção de outros 600.

190 da natureza

A Polícia Militar Ambiental é um comando especializado que trabalha com uma legislação específica com mais de oito mil normas a respeito da proteção ambiental. A corporação é formada por 2.190 PMs, quase 500 viaturas, um helicóptero e 300 embarcações (três para atuar no mar). 

Leia também: Polícia Militar Ambiental: o "190" da Natureza

Policia Militar Ambiental é a protetora do meio ambiente
Major PM Luis Augusto Pacheco Ambar
Policia Militar Ambiental é a protetora do meio ambiente

Homem forte da coorporação e um do principais responsáveis pelos resultados, o Coronel da Polícia Militar Ambiental Alberto Sardilli diz :"Nós cuidamos das áreas rurais mais remotas do Estado e temos estreitado a relação com o produtor para que ele fique protegido de roubos que acabam afetando comercialmente as pessoas. Temos o projeto de fazer demarcações das propriedades através de GPS e criar uma maior ligação com esse produtor.".

Saiba como acionar a Polícia Militar Ambiental:

1- Pelo celular, através do aplicativo Denúncia Ambiente, disponível para Android  http://bit.ly/DenuncieAmbienteAndroid e IOS   http://bit.ly/DenuncieAmbienteIOS

2- Pelo site:   http://denuncia.sigam.sp.gov.br/

3- Por e-mail:   ambientaldenuncias@policiamilitar.sp.gov.br

4- Por telefone: consulte o número da unidade mais próxima Polícia Militar Ambiental :   http://bit.ly/LocalizeAmbiental

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.