A polícia responde a um incidente de ameaça de bomba em Cambridge no início desta semana
Reprodução
A polícia responde a um incidente de ameaça de bomba em Cambridge no início desta semana

Escolas foram evacuadas na  Nova Zelândia depois de  ameças de bomba por telefone nesta quarta-feira, em meio a suspeita de ataques vindos de um ciberbot de fora do país, segundo a Federação Neozelandesa de Diretores Escolares. A situação deixou os pais dos alunos em pânico. É a segunda vez nesta semana que os colégios interromperam as aulas. A polícia deu início às investigações para descobrir a origem dos telefonemas. As regiões de Masterton, Kaikoura, Greymouth, Queenstown, Levin, Whanganui, Rolleston, Takaka, Geraldine, Dunstan, Ashburton e Palmerston North, onde estão localizadas as instituições de ensino, foram vasculhadas pelas autoridades que não encontraram vestígios de explosivos.

A maioria das ameaças por telefone se referiam a um dispositivo explosivo. Razão pela qual, segundo Bruce O'Brien, o comissário assistente da polícia, as autoridades acreditam que as ligações venham da mesma pessoa.

"A perturbação não é causada apenas aos alunos, mas obviamente ao funcionamento da escola e, em seguida, à angústia também de seus pais, por isso estamos trabalhando muito de perto com as escolas para fornecer segurança", disse O'Brien.

Nesta semana é a segunda vez que ameaças sérias foram feitas as escolas. Na terça-feira, ligações semelhantes interromperam as escolas da Ilha do Norte. Ontem, na quarta-feira, colégios foram evacuados, enquanto outros ficaram em confinamento com os alunos e retomara as aulas no final do dia.

Em publicação, no Facebook, o colégio Awatapu informou aos pais que a situação havia sido estabilizada:


Em tradução: "A polícia já limpou o local. Vejo todos amanhã! Obrigado pelo apoio/ajuda de todos. A escola recebeu uma ameaça de bomba. Somos uma das várias escolas da região. A polícia acredita que o risco é muito baixo, mas com muita cautela tomamos a decisão de evacuar a escola. Os alunos do 10º ano e acima devem voltar para casa e entrar em contato com os pais via celular, se possível. Todos os alunos do 9º ano, de acordo com a sua idade, devem apresentar-se ao GYM (que foi liberado pela polícia) com suas malas. Isso inclui todos os alunos de ônibus e qualquer aluno que não possa voltar para casa. Esses alunos podem sair depois de mostrar a um membro da equipe um texto de um pai/responsável dando-lhes permissão para sair ou, alternativamente, buscá-lo na Academia".

O autor das ligações, segundo o comissário de polícia da Nova Zelândia, não exigiu dinheiro e nem entrou em detalhes sobre exigências:

"Mas as ligações prejudicaram de qualquer forma as escolhas, não tinha outra opção a não ser levar a sério o que ele estava dizendo".

Pais e alunos foram tranquilizados pelos funcionários das escolas e pelos policiais, que informaram estar fazendo todo o possível para localizar a fonte e manter os procedimentos adequados em situações de emergências.

A diretora, Liz Kone, de uma das escolas ameaçadas nesta semana, a Waitaki Girls High School, disse que o colégio de Oamaru foi evacuado imediatamente:

"Recebemos um telefonema falso para a secretaria da escola hoje, pouco antes do meio-dia. A polícia foi contatada na mesma hora e evacuamos para o centro recreativo. A evacuação foi muito tranquila; os alunos estavam bem comportados e acomodados. A polícia chegou e vasculhou as instalações, a resposta e o apoio foram excelentes. Às 13h nos foi dada a liberação e os alunos puderam retornar às suas aulas. Os pais foram notificados após o retorno à escola e o restante do dia foi inalterado", contou Liz em entrevista ao RNZ.

A polícia de Checkpoint está trabalhando com parceiros internacionais para garantir que o autor das ligações seja punido.

Origens das ameaças pode ser ciberbots no exterior

Ameaças de bomba contra escolas no país da Nova Zelândia se originam com um ciberbot no exterior, diz a Federação Neozelandesa de Diretores Escolares. A presidente Cherie Taylor-Patel, em entrevista a uma rádio local, falou que as ameaças que tem ocorrido em diferentes lugares do país:

"O ministério disse que seu entendimento é que este era realmente um cyberbot vindo do exterior. Aparentemente aconteceu há alguns anos, então já aconteceu antes, mas obviamente não é algo para o qual alguém está preparado e é algo que ninguém quer que aconteça", disse a presidente.

As direções dos colégios foram elogiadas pelo contato imediato com a polícia e terem acalmado os alunos nas evacuações.

"Os incidentes desta quarta-feira foram realmente inesperados, realmente angustiantes para as comunidades envolvidas", afirma Taylor-Patel.

O Ministro da Polícia, Chris Hipkins, informou ao Ministério da Educação da Nova Zelândia que têm planos para lidar com os autores das ligações e que tinha uma mensagem para essas pessoas que faziam ameaças de bomba às escolas: "não sejam idiotas".

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários