Ataque russo a bairro de Kiev
Reprodução / Twitter - 22.03.2022
Ataque russo a bairro de Kiev

O número de civis encontrados mortos em cidades da região de Kiev subiu para 1.235, informou o chefe da polícia regional, Andryi Nebytov, ao portal Unian nesta quarta-feira (4).

A área, que inclui as cidades de Bucha, Borodyanka e Irpin, foi ocupada pelas tropas russas por cerca de 30 dias e foi retomada pelos ucranianos no início de abril.

"Só ontem foram encontrados mais 20 corpos sem vida. A maior parte deles estava em Borodyanka e nas vilas vizinhas, além de assentamentos em Vyshhorod", disse o policial informando ainda que a maioria das vítimas teve como causa do óbito "tiros de armas leves".

Segundo Nebytov, "podemos falar de crimes em larga escala do exército russo na região de Kiev".

A região próxima à capital, incluindo alguns bairros mais periféricos, teve papel fundamental em impedir o avanço dos russos até o centro de poder da Ucrânia.

No entanto, depois que foram retomadas, as localidades mostraram ao mundo um cenário de horror, com centenas de corpos de civis abandonados pelas ruas ou enterrados em valas comuns. Muitos deles estavam com as mãos amarradas e apresentavam sinais de torturas - alguns, inclusive, foram achados mutilados.

 A Rússia nega o assassinato em massa de civis, dizendo que Kiev "encenou" a situação local para impressionar o mundo. No entanto, os possíveis crimes de guerra cometidos ali já estão sendo investigados por um grupo de países internacionais com o governo ucraniano e de maneira independente pelo Tribunal Penal Internacional (TPI).


Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários