Governador afirma que havia muitos pacientes e médicos no local
Reprodução / Twitter - 22.04.2022
Governador afirma que havia muitos pacientes e médicos no local


As autoridades regionais de Lugansk informaram nesta quarta-feira (27) que um  ataque russo atingiu o hospital de Severdonetsk, no leste da Ucrânia, e provocou a morte de uma mulher.

De acordo com o governador de Lugansk, Serhiy Gaidai, as tropas russas "sabiam que o hospital não estava vazio". "Havia pacientes, em diferentes condições, e médicos. E isso não os impediu".

"Só restam dois hospitais em funcionamento na região, em Severdonetsk e Lysychansk, e hoje os russos deliberadamente abriram fogo contra o hospital de Severdonetsk", acrescentou.

Gaidai explicou ainda que a "destruição do edifício é significativa" e "vários andares do prédio foram danificados".

Além do hospital, as forças russas também bombardearam duas vezes a cidade de Avdiivka, na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, com munição de fósforo.

Leia Também


A informação foi divulgada pelo chefe da administração militar regional, Pavlo Kyrylenko, de acordo com relatos do Ukrainska Pravda.

"Os russos atingiram Avdiivka duas vezes com munição de fósforo.
Primeiro eles atacaram ontem à noite nas proximidades da usina de Avdiivka e esta manhã, no centro da cidade", disse Kyrylenko.

Segundo o militar, "após os dois bombardeios (com peças de artilharia), vários incêndios começaram na cidade".

O uso de bombas de fósforo viola convenções mundiais, tendo em vista que a substância é altamente tóxica e inflamável e tem sua utilização limitada por um acordo internacional sobre armas não convencionais assinado em 1980, em Genebra, e do qual a Rússia é signatária.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários