Diplomatas russos são expulsos da Dinamarca, Itália, Estônia e Letônia
Reprodução
Diplomatas russos são expulsos da Dinamarca, Itália, Estônia e Letônia

Nesta terça-feira (5), os ministérios das Relações Exteriores da Itália, Dinamarca, Letônia e Estônia anunciaram que diplomatas russos que estavam nos países foram expulsos.

A Letônia e a Estônia tomaram medidas mais drásticas e fecharam consulados gerais da Rússia em algumas regiões. O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, informou o embaixador russo no país, Sergey Razov. Para ele, a expulsão é feita como uma medida de “segurança nacional” por conta do conflito russo-ucraniano.

Na Dinamarca, a ameaça à segurança também foi o motivo pelo qual os funcionários da inteligência na embaixada foram banidos. Eles terão 14 dias para deixar o país.

De acordo com o ministro das Relações Exteriores da Dinamarca, Jeppe Kofod, o país não pretende cortar relações diplomáticas com a Rússia. Para ele, o embaixador russo é o principal meio para a comunicação entre os países - tanto para enviar mensagens diretas ao Kremlin quanto para repudiar os ataques da Rússia à Ucrânia.

“O quadro de segurança europeu mudou drasticamente nas últimas semanas. Com esta decisão, estamos enviando um sinal claro a Moscou de que não aceitaremos que oficiais de inteligência russos estejam espionando em solo dinamarquês. Eles representam um risco para a nossa segurança nacional que não podemos ignorar” , afirmou o ministro.

Leia Também

A Letônia divulgou que dois consulados russos foram fechados, em Daugavpils e Liepāja. O país condenou a invasão russa na Ucrânia e prestou solidariedade ao país chefiado por Volodymyr Zelensky. Os funcionários desses consulados serão classificados  persona non grata no país.

Na Estônia, a embaixada em Tartu e o consulado em Narva serão fechados. Pelo menos 14 funcionários, entre eles diplomatas, serão expulsos do país. O subsecretário Märt Volmer fez a solicitação ao embaixador russo no país, Vladimir Lipaev.

“À luz das constantes notícias de atrocidades cometidas pelas forças russas, inclusive em Bucha e em outros lugares, não se pode falar de negócios como de costume, especialmente em vista da grave violação do direito internacional pela Rússia” , disse Volmer.

Em ambos os países, os consulados poderão funcionar até o fim do mês, no 30 de abril. Esse prazo é o mesmo para os funcionários deixarem o país.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários