Hospital localizado em Mariupol, na Ucrânia, foi bombardeado várias vezes
Reprodução/Twitter
Hospital localizado em Mariupol, na Ucrânia, foi bombardeado várias vezes

A prefeitura da cidade de Mariupol, na Ucrânia, afirmou nesta sexta-feira (11) que por volta de 1,6 mil pessoas morreram desde o início da invasão russa.

De acordo com um comunicado divulgado em seu perfil do Telegram, a prefeitura do município ucraniano informou que ao menos 1.582 "moradores pacíficos" foram mortos pelas forças de ocupação russas e por "bombardeios impiedosos de bairros residenciais".

"Cada ocupante queimará no inferno! Não vamos esquecer e nunca perdoar este crime contra a humanidade, contra a Ucrânia e contra Mariupol", disse a prefeitura local.

O Ministério da Defesa da Rússia, citado pela agência de notícias "Tass", confirmou que Mariupol está completamente bloqueada e cercada pelas forças russas.

O vice-prefeito de Mariupol, Serhiy Orlov, disse recentemente que mais de 1,2 mil corpos foram retirados das ruas da cidade e começaram a ser enterrados em valas comuns.

Por volta de 400 mil pessoas continuam em Mariupol, onde o prefeito Vadym Boychenko afirma que os russos seguem atacando "cinicamente, implacavelmente e propositadamente" edifícios residenciais.

Leia Também

"A cada 30 minutos, aviões chegavam sobre Mariupol e trabalhavam em áreas residenciais, matando civis, idosos, mulheres e crianças. É esta a grandeza do Exército russo hoje?", escreveu o prefeito em uma publicação.

Os constantes ataques russos em Mariupol, uma cidade estrategicamente importante, impediram os esforços para enviar comida, água e remédios para a cidade, segundo o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky.

Prefeito sequestrado

A agência de notícias ucraniana "Unian" informou que um grupo russo, composto por cerca de 10 indivíduos, sequestrou o prefeito de Melitopol, Ivan Fedorov.

Segundo fontes ouvidas pelo veículo de comunicação, o político se recusou a colaborar com os russos ao decidir manter a bandeira ucraniana na prefeitura da cidade, que já foi ocupada pelas tropas russas.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários