Volodymyr Zelenski, presidente da Ucrânia
Reprodução/ Twitter @ZelenskyyUa
Volodymyr Zelenski, presidente da Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, reclamou da falta de  apoio de líderes ocidentais na guerra que o país trava com a Rússia. Nesta quinta-feira (24), o governo russo determinou uma série de bombardeios ao território ucraniano.


"Nos deixaram sozinhos para defender nosso Estado", disse Zelenski, em discurso televisionado. "Quem está disposto a lutar conosco? Não vejo ninguém. Quem está disposto a dar à Ucrânia uma garantia de adesão à Otan? Todos estão com medo", criticou, segundo a Folha de S. Paulo.

O jornal O Globo registrou ainda que Zelenski alertou os líderes europeus de que a invasão russa não deve se restringir a um país. "Se vocês, líderes europeus, líderes mundiais, líderes do mundo livre, não nos ajudarem hoje, amanhã então a guerra vai bater em suas portas", avisou.


A guerra ocorre justamente porque o governo do russo Vladimir Putin não aceita uma eventual incorporação da Ucrânia , situada em sua zona de influência, à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). A Otan foi criada em 1949 para se opor à hoje extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, que reunia a Rússia, a Ucrânia e outros 13 países.

Leia Também


Em meio a esse plano de fundo, o conflito atual já provocou a morte de 137 pessoas. Zelenski contabiliza ainda 316 feridos. 

Com isso, ele declarou que a Ucrânia está sob mobilização geral, estado que prevê esforços de autoridades federais, regionais e da iniciativa privada para colocar à disposição dos militares "edifícios, estruturas, terrenos, transportes e outros meios materiais e técnicos". A medida é válida por 90 dias.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários