Socorristas cobrem corpos encontrados em barco no Mediterrâneo
Reprodução
Socorristas cobrem corpos encontrados em barco no Mediterrâneo

Os corpos de 10 pessoas foram encontrados a bordo de um barco superlotado socorrido pela ONG Médicos Sem Fronteiras na costa da Líbia, no Mar Mediterrâneo.

A operação de resgate ocorreu na última terça-feira (16), após um alerta do serviço Alarm Phone, e foi efetuada pelo navio humanitário Geo Barents, operado por MSF.

Segundo a ONG, 99 sobreviventes foram socorridos, mas 10 corpos estavam no fundo do barco de madeira. "10 mortes evitáveis, assim como as das outras 1.225 pessoas que perderam suas vidas na travessia do Mediterrâneo desde o início do ano. 10 pessoas que morreram sufocadas após 13 horas à deriva no mar. Como podemos aceitar isso em 2021?", escreveu a entidade no Twitter.

O Geo Barents carrega agora 186  imigrantes forçados, sendo que o mais jovem tem 10 meses de idade, e pede um porto seguro para atracar. "Muitos deles parecem traumatizados por uma terrível provação. Eles ficaram vagando no mar por horas, temendo por suas vidas, e precisam ser colocados em segurança o quanto antes", acrescentou MSF.

Leia Também

A rota migratória do Mediterrâneo Central, entre Líbia e Tunísia, no norte da África, e Itália e Malta, no sul da Europa, é considerada a mais mortal do mundo pela Organização Internacional das Migrações (OIM) e vem registrando um aumento nas travessias.

Apenas a Itália já recebeu 59.472 migrantes forçados via Mediterrâneo em 2021, crescimento de 84% na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com o Ministério do Interior.

Os principais países de origem são Tunísia (14.865), Bangladesh (7.014), Egito (6.788), Irã (3.600) e Costa do Marfim (3.427). Geralmente, esses migrantes usam a Itália apenas como porta de entrada na União Europeia e depois seguem para países mais ao norte, como a Alemanha.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários