Vulcão Cumbre Vieja, em La Palma
Reprodução: Redes Sociais
Vulcão Cumbre Vieja, em La Palma

A cinzas emitidas pelo  vulcão Cumbre Vieja já entraram em contato com o mar e podem estar afetando o ecossistema marinho da costa sudoeste da ilha,  causando "mudanças drásticas" em sua produtividade.

Em comunicado, a comissão científica Pevolca (Plano de Emergência Vulcânica das Canárias) informa que serão reforçados os sistemas de vigilância de materiais vulcânicos na coluna de água do mar.

Além disso, estimativa da taxa de emissão de dióxido de enxofre (SO2) para a atmosfera aumentou na quarta-feira e ultrapassou 12 mil toneladas por dia, e as concentrações lineares também aumentaram.

A Involcan também informa que a  área afetada pela lava é de cerca de 220 hectares, com um perímetro de 15,7 quilômetros. O riacho tem 3,8 quilômetros de extensão e está a 2,1 metros da costa.

A erupção continua seu curso ajustado ao seu caráter estromboliano, com fases mais explosivas, com quatro centros emissores e uma coluna ou pluma que atinge até 4.500 metros de altura, com "forte emissão de cinzas".

As autoridades de  La Palma recomendam que a população permaneça dentro de casa e, se estiver ao ar livre, use máscaras FFP2 e sistemas de proteção ocular.

Até o momento, o comitê gestor de Pevolca aponta que cerca de 5.700 pessoas foram evacuadas. Destes, 135 estavam alojados no quartel El Fuerte (Breña Baja), dos quais 86 foram transferidos para um hotel em Fuencaliente.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários