Cumbre Vieja: alerta no início do ano previa possível erupção do vulcão
Reprodução: Redes Sociais
Cumbre Vieja: alerta no início do ano previa possível erupção do vulcão

Uma equipe de pesquisadores alertou em janeiro para uma possível erupção do vulcão Cumbre Vieja, em La Palma, na comunidade autônoma espanhola das Canárias . A lava, que começou a ser expelida no último domingo, destruiu cerca de 320 construções e atingiu 154 hectares de terra até ontem.

Em estudo publicado no início do ano, os especialistas apontaram uma iminente atividade do magma que poderia desencadear uma erupção em breve, conforme divulgou o jornal espanhol El País. Segundo os pesquisadores, o magma estava vazando por fendas sob a parte sul da ilha, e uma reativação vulcânica estava ocorrendo.

Em outubro de 2017, foram detectados 122 pequenos abalos sísmicos, o primeiro sinal desde que o vulcão Teneguía, também situado na ilha, ficou inativo em 1971. No ano seguinte, ocorreram outros 79 terremotos. Como não foram percebidas deformações a priori, um grupo de estudiosos dediciu analisar o fenômeno.

Os pesquisadores usaram dados de satélites para verificar as condições do solo nas últimas décadas. Os dados sugeriam que pequenas quantidades de magma estavam se acumulando em uma profundidade de oito a dez quilômetros, aumentando a pressão na área.

"Vimos que o processo de reativação deve ter sido por volta de 2009 e 2010, e depois de estudar a evolução até 2020, descobrimos que estava acelerarando", disse ao El País José Fernández, chefe do laboratório de detecção remota do Instituto de Geociências (IGEO), apoiado pela Universidade Complutense.

O estudo foi publicado no periódico acadêmico Scientific Reports em conjunto com pesquisadores de universidades espanholas, americanas, italianas e canadenses. Nele, é feita ainda uma radiografia bem detalhada do território de La Palma.

O vulcão Cumbre Vieja entrou em erupção às 11h12 no horário de Brasília (15h12, no horário local) de domingo, depois de mais de uma semana de registro de milhares de atividades sísmicas na região. O complexo vulcânico não entrava em erupção desde 1971.


Nas primeiras horas após a erupção, a lava avançava cerca de 700 metros por hora, mas a velocidade diminuiu. A estimativa agora é de 300 metros por hora. Calcula-se ainda que a erupção pode durar entre 24 a 84 dias.

O fenômeno deixou muitas pessoas preocupadas pelos alertas de que poderia haver um tsunami na costa brasileira após a erupção do vulcão. No entanto, as chances foram minimizadas por autoridades diante da repercussão nas redes sociais e seguem remotas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários