Jacarta, capital da Indonésia
Banco de imagens/Pixabay
Jacarta, capital da Indonésia

De mecânico a 'influencer': Siswanto, um trabalhador humilde, ficou tão famoso com vídeos na internet, que seus vizinhos começaram a imitá-lo e sua comunidade se transformou na "vila de YouTubers" da Indonésia.

Siswanto é muito produtivo. Se grava constantemente, em casa, comendo em um café ou em sua moto, tudo para adicionar cada vez mais conteúdos em sua página. Hoje fatura até US$ 9.350 por mês.

Sua história começou há quatro anos, quando lutava para ganhar a vida em sua oficina mecânica em Kasegeran, uma pequena cidade na ilha de Java que a maioria dos indonésios dificilmente encontrariam no mapa. 

Estava desesperado para obter uma renda extra para alimentar sua família, já que seus trabalhos ocasionais como comerciante ou agricultor de soja não eram suficientes. 

Siswanto se aventurou na gravação de vídeos curtos humorísticos, apesar de ter uma conexão de internet precária, depois de ver que um 'influencer' indonésio na televisão ficou rico graças aos seus vídeos on-line. 

"Mas ninguém assistia meus vídeos, então parei", contou à AFP o mecânico de 38 anos que, como muitos indonésios, tem um nome só.

Siswanto decidiu que isso não era para ele, até que um dia estava procurando vídeos de tutoriais de mecânica para consertar a moto de um cliente. 

"Não conseguia entendê-los, mesmo sendo mecânico", disse. "Eram muito complicados".

Então, a curiosidade se transformou em uma revelação e ele decidiu criar seus próprios vídeos para explicar, de forma simples, como realizar os consertos básicos.

Pegou o celular que compartilha com sua esposa grávida e se equipou com o necessário para começar a filmar sem parar.

Você viu?

Siswanto lembra que "tremia e falava desordenadamente" em seus primeiros vídeos. Mas, ao longo dos anos, atingiu um público de mais de dois milhões de seguidores no YouTube.

Nada de magia
Hoje, Siswanto tem uma agenda lotada e com a ajuda de um simples celular, um tripé, um microfone e um pequeno equipamento de montagem, publica constantemente muitos vídeos nos quais é visto consertando motocicletas, jardinando ou pescando em um rio de sua aldeia com uma paisagem bucólica ao fundo.

Seu negócio está no auge. Ele diz que ganha até 150 milhões de rúpias (cerca de US$ 9.350) por mês, o que não passou desapercebido em sua cidade. Rapidamente, foram espalhados boatos de que o mecânico teria recorrido à "magia" para enriquecer.

"Então, organizamos uma reunião local e expliquei como ganho dinheiro no YouTube", disse Siswanto. "A maioria das pessoas nunca havia ouvido falar (da plataforma)".

Ele ofereceu aulas gratuitas para provar sua história e inspirou cerca de 30 moradores de Kasegeran, que criaram seus canais no YouTube com centenas de milhares de visualizações.

Entre eles estava Tirwan, um ex-vendedor ambulante de ravióli local, chamado "cilok", com o qual ganhava cerca de 50 mil rúpias (cerca de US$ 3,5) por dia.

Agora, ele se filma cozinhando ou encenando "caça aos fantasmas" e seus vídeos fazem muito sucesso no arquipélago, onde as crenças em forças sobrenaturais estão profundamente arraigadas.

Sonho realizado com muito trabalho
Essa receita do YouTube trouxe uma conexão de internet mais rápida para Kasegeran, tornando mais fácil para as crianças acessarem aulas on-line depois que a Indonésia, a exemplo de inúmeros países,fechou suas escolas no ano passado por meses para conter a pandemia de Covid.

Eles também deram ao povo uma nova fonte de orgulho. No entanto, os YouTubers explicam que seu sucesso não foi obra de magia.

"Se você tiver vontade e trabalhar muito, é um sonho que pode se tornar realidade", insiste Siswanto. — Mas é preciso perseverar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários