Kim Jong-un (à esquerda) e Moon Jae-in (à direita).
Reprodução/NDTV
Kim Jong-un (à esquerda) e Moon Jae-in (à direita).

Nesta sexta-feira (25), o gabinete da presidência da Coreia do Sul informou que o líder norte-coreano Kim Jong-un pediu desculpas pelo assassinato de um cidadão do Sul pelos militares do Norte .

O pedido de desculpas por parte da Coreia do Norte não é uma atitude comum e veio um dia após a Coreia do Sul pedir esclarecimentos ao país vizinho sobre o assassinato de um sul-coreano que havia desaparecido na segunda-feira (21).

O cidadão estava a bordo de um barco de patrulha perto da ilha de Yeonpyeong, que fica a 1,5 km da fronteira marítima com a Coreia do Norte . Ele foi morto a tiros e teve o corpo incendiado.

Segundo a agência de notícias Yonhap, Kim Jong-un disse que o ocorrido foi “vergonhoso” e que sente muito por "decepcionar o presidente Moon Jae-in e os sul-coreanos".

O líder norte-coreano também informou que os soldados atiraram quase dez vezes contra o homem que tentou entrar de forma ilegal nas águas da Coreia do Norte e não quis se identificar.

Depois dos disparos, os militares encontraram somente o barco com sangue, mas sem o cidadão baleado . Seguindo orientações para evitar o contágio do novo coronavírus (Sars-Cov-2), o objeto foi queimado.

    Veja Também

      Mostrar mais