coreias
Reprodução/NDTV
Kim Jong-un e Moon Jae-in se encontraram e prometeram um compromisso com a paz na península das Coreias


Autoridades militares da Coreia do Sul se pronunciaram nesta quinta-feira (24) para acusar as tropas norte-coreanas de terem matado um funcionário do governo sul-coreano. O homem trabalhava no Ministério de Assuntos Marítimos e Pesca e desapareceu no início da semana. O sul acusa o norte de ter matado o homem e queimado o corpo em uma suposta tentativa de contar um surto de Covid-19.


A Coreia do Sul disse que o homem tentava desertar para o norte quando desapareceu em seu barco na segunda-feira (21) a cerca de 10 KM da Linha Limite do Norte (NLL, na sigla em inglês), a fronteira marítima entre os países. Não há informações sobre a motivação, mas o Sul trabalha comm a hipótese de assassinato "anti-coronavírus".

Seul, capital da Coreia do Sul, chamou o assassinato de "crime contra a humanidade" e o presidente do país disse à agência de notícias Yonhap a morte de um civil é "chocante" e "imperdoável". Os militares dizem que enviaram uma mensagem ao Norte pedindo esclarecimentos, mas que ainda não foram respondidos.


    Veja Também

      Mostrar mais