Tamanho do texto

Em entrevista, Jeanine Áñez falou sobre o exílio de Evo Morales e aproveitou para rebater declarações do mesmo, que a culpou pelo golpe de Estado

Nesta sexta-feira (15) foi ao ar uma entrevista de Jeanine Áñez, presidente interina da Bolívia, para a BBC . Durante o papo, a correligionária alegou que Evo Morales deve voltar ao país e prestar contas à Justiça. Ela também declarou que o ex-mandatário fugiu "de maneira covarde".

Leia também: Evo Morales relata "violência de golpistas" após renunciar à presidência

Jeanine Áñez arrow-options
Reprodução BBC
Jeanine Áñez


Leia também: Evo Morales deixa Bolívia rumo ao México, afirma chanceler

"Ele [ Evo Morales ] deve responder à Justiça porque saiu da maneira mais covarde (da Bolívia ). Ele sabe que precisa responder à Justiça do país e também que está violando todos os protocolos de asilo porque faz política abertamente e não tem permissão para fazer política nessa condição", disse Jeanine Áñez .

Leia também: Evo Morales desembarca no México e promete 'continuar luta'

Em seu terceiro dia no Palácio Quemado, Áñez já mudou todo o alto comando da polícia milita, empossou ministros e anunciou as prioridades de seu governo. Do México, Evo Morales a descreveu como "presidente autoproclamada" e a acusou de consumar um golpe de Estado contra ele. Durante a entrevista, Áñez rebateu dizendo que Morales é o verdadeiro responsável pela crise que causou sua renúncia após as eleições "fraudulentas" de 20 de outubro.