Tamanho do texto

Em mensagem no Twitter, presidente americano convida o líder norte-coreano para um aperto de mãos e para 'dar um oi'

Trmp e Kim Jong-un
Divulgação/Casa Branca
Trump sugere novo encontro com Kim Jong-un


O presidente americano Donald Trump publicou um tuíte, nesta sexta-feira (28), sugerindo umencontro com o ditador norte-coreano, Kim Jong-il , na fronteira entre as duas Coreias. Ele inicia, neste sábado, uma visita oficial de dois dias à Coreia do Sul.

Leia também: Trump diz rindo a Putin: 'Não se meta nas eleições americanas'

“Após alguns encontros muito importantes, incluindo minha reunião com o presidente Xi, da China, vou deixar o Japão para a Coreia do Sul (com o presidente Ban Ki-moon). Enquanto estiver lá, se o líder Kim, da Coreia do Norte, vir isso, gostaria de encontrá-lo na fronteira/DMZ (Zona Desmilitarizada, em inglês) apenas para apertar sua mão e dizer ‘oi’(?)!”, escreveu Trump .

Leia também: Em encontro com Bolsonaro, Trump revela que fará visita ao Brasil

A mensagem, publicada no início da manhã de sábado, pelo horário de Osaka, foi antecedida por uma recente troca de mensagens entre os dois líderes, além de rumores sobre negociações diplomáticas nos bastidores com o objetivo de viabilizar um terceiro encontro .

A última reunião entre Trump e o ditador norte-coreano , ocorrida em fevereiro, em Hanói, foi cercada por muita expectativa sobre um possível acordo. Mas as negociações emperraram por causa das divergências em relação a quanto cada lado deveria entregar inicialmente.

Leia também: Trump: "Vamos responder todo ataque do Irã com força esmagadora"

Segundo os EUA , as conversas chegaram a um impasse quando os norte-coreanos exigiram a suspensão de todas as sanções em troca de uma desnuclearização parcial, sem abrir mão das armas nucleares.

O governo de Pyongyang não confirma essa versão, e diz que pediu a suspensão de apenas algumas medidas, oferecendo em troca o fechamento, em definitivo , do centro de pesquisa de Yongbyon, considerado o “coração” do programa nuclear norte-coreano. CAso gerou desconforto na relação do país com Trump .