Tamanho do texto

Após cancelamento de reunião bilateral, Bolsonaro e Macron também tiveram encontro 'informal' e 'amistoso'; todos estão no Japão pelo G-20

Bolsonaro e Trump
Reprodução/Twitter
Bolsonaro e Trump se encontraram no Japão

O presidente dos EUA, Donald Trump , disse na sexta-feira que Jair Bolsonaro é "muito querido pelo povo brasileiro", em uma troca de elogios mútuos, no início da reunião em Osaka, no Japão, durante a cúpula do G-20. Os dois presidentes se encontraram pela primeira vez em março , durante a visita oficial do brasileiro à Washington. 

"Ele é um homem especial, está muito bem, muito amado pelo povo do Brasil", disse Trump. Bolsonaro respondeu: "Eu sou um grande admirador há muito tempo, inclusive antes de sua eleição. Eu apoio Trump , apoio os Estados Unidos, eu apoio sua reeleição".

Jair Bolsonaro pode ser um raro aliado para Trump durante a reunião do G-20 , que pode ser uma das mais conturbadas em vários anos, com as disputas sobre comércio, mudanças climáticas e as tensões no Oriente Médio na agenda.

Como Trump, Bolsonaro é considerado um cético da mudança climática. O brasileiro também segue o modelo do presidente americano de uso intenso das redes sociais.

Macron e Bolsonaro

Após notícias de que o encontro entre Bolsonaro e o presidente francês Emmanuel Macron ser cancelado, os dois líderes se reuniram nesta sexta-feira para uma reunião "informal" e "amigável" disse um porta-voz do governo brasileiro.

Leia também: Trump: "Vamos responder todo ataque do Irã com força esmagadora"

Macron é um grande crítico do líder brasileiro e, antes do G-20, chegou a dizer que não assinaria o bastante esperado acordo entre o Mercosul e a União Europeia caso Bolsonaro saísse do Acordo de Paris.

Os dois presidentes conversaram por cerca de meia hora, disse o porta-voz do Planalto, Otávio do Rego Barros, em coletiva de imprensa na cidade japonesa: "Foi um encontro amigável, por que não seria?", disse o general, referindo-se à recente crítica de Macron à política climática brasileira.

Segundo Otávio do Rego Barros, as negociações do tratado UE-Mercosul estão "muito avançadas" e o acordo deverá seja tornado público "o mais breve possível". Durante o encontro também foram discutidas questões relativas ao comércio internacional e à fronteira entre o Brasil e a Guiana Francesa.

O acordo comercial entre os dois blocos comerciais começou a ser negociado em 1999 e está sendo finalizado em Bruxelas e poderá se tornar realidade em breve, apesar da relutância de alguns países europeus, especialmente a França, em proteger seus setores agrícolas.

O Brasil está no alvo de ativistas ambientais, críticos das ONGs e alguns governos, incluindo a Alemanha, por sua política de desmatamento.

Leia também: Acusado de estupro por escritora, Trump retruca: "Ela não faz meu tipo"

A luta contra a mudança climática é uma das principais questões da cúpula do G-20, que reúne 20 países industrializados e emergentes na sexta e no sábado, uma questão que alguns países, liderados pelos Estados Unidos , não querem que sejam mencionados no comunicado. final.