Tamanho do texto

Presidente norte-americano é acusado de ter estuprado a colunista da revista Elle em um provador de roupas, dentro de uma loja de Nova York

Donald Trump
Reprodução/Casa Branca
Em comunicado, Donald Trump já havia afirmado que jamais teve contato com Carrol e que incidente 'nunca aconteceu'

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comentou nesta segunda-feira (24) a denúncia contra ele, registrada pela colunista da revista de moda Elle , E.Jean Carrol, que o acusa de tê-la estuprado em um provador de roupas , em uma loja em Nova York, nos anos 90. Segundo ele, a escritora está "mentindo totalmente".

Em sua defesa, Donald Trump ainda acrescentou que Carrol "não faz seu tipo". A declaração do presidente dos Estados Unidos foi dada em entrevista ao jornal Hill , divulgada ontem.

"Eu vou dizer com grande respeito: Número um, ela não é meu tipo. Número dois, isso nunca aconteceu. Isso nunca aconteceu, ok?", afirmou Trump . Pela noite, em outra entrevista, na CNN, a escritora chegou a responder a declaração do presidente norte-americano.

"Eu adoro não ser o tipo dele. Você não ama que você não é o tipo dele?", perguntou ela ao jornalista. "Com todas as mulheres é a mesma coisa: ele nega, dá a volta, ataca e ameaça - e todo mundo esquece até a próxima mulher aparecer", disse Carroll . "Estou cansada disso. Estou cansada disso", concluiu.

Leia também: Trump defende propostas de 2016 em campanha à reeleição

Em um comunicado divulgado na noite da última sexta-feira (21), Trump já havia afirmado que jamais teve contato com Carroll e que o incidente "nunca aconteceu". A descrição do estupro está no próximo livro de Carrol, que teve trechos publicados nesta sexta-feira na New York Magazine .

Narrativa do estupro

E. Jean Carroll acusa Donald Trump de estupro há 20 anos
Arquivo pessoal
E. Jean Carroll acusa Donald Trump de estupro há 20 anos

E. Jean Carroll, que escreve a coluna de conselhos "Ask E. Jean" da revista Elle há 26 anos, disse que o estupro ocorreu em 1995 ou 1996, quando Donald Trump era um proeminente promotor imobiliário e ela, uma conhecida jornalista e apresentadora de televisão.

Carroll, hoje com 75 anos, conta no livro que encontrou casualmente Trump na loja Bergdorf Goodman na Quinta Avenida de Manhattan, em Nova York , quando os dois faziam compras.

Durante uma conversa, Trump pediu sua ajuda para comprar um presente para a esposa e após discutir opções como uma carteira ou um chapéu, ele se decidiu por uma lingerie. Segundo Caroll, os dois subiram para a seção de lingerie , onde não havia qualquer funcionário da loja à vista.

A escritora pensou que seria "hilariante" ver Trump provar lingerie sobre suas calças, mas não foi o que aconteceu. "No momento em que a porta do provador se fechou ele se atirou sobre mim, me pressionou contra a parede e colocou sua boca nos meus lábios", escreveu Carroll.

Leia também: Trump volta a ameaçar impor tarifas ao México e cita compromissos "secretos"

Tendo a mulher imobilizada, Donald Trump baixou as calças de Carrol, abriu seu zíper e a estuprou, até que ela conseguiu se livrar e fugir correndo. Segundo Caroll, o ataque não durou "mais que três minutos".

    Leia tudo sobre: donald trump