Tamanho do texto

Presidente confirmou que país vizinho enviará seis mil soldados para a fronteira com Guatemala

Trump
Reprodução/The White House
Em postagem no Twitter, Trump celebrou acordo de imigração com o México

Um dia depois do anúncio de um  acordo com o México sobre o controle de imigração, suspendendo indefinidamente a aplicação de uma tarifa de 5% sobre todas as importações mexicanas para os Estados Unidos , o presidente americano, Donald Trump, celebrou o acordo “muito bem-sucedido” para os dois países. O presidente americano ainda confirmou que o país vizinho enviará seis mil soldados para a fronteira.

Leia também: Navios de guerra de EUA e Rússia quase colidem no Pacífico

“O México se esforçará muito e, se fizer isso, será um acordo muito bem-sucedido tanto para os Estados Unidos quanto para o México!”, escreveu o presidente Trump no Twitter.

No Japão, o secretário do Tesouro dos EUA , Steven Mnuchin, disse  que o acordo atende aos objetivos do presidente Donald Trump de resolver problemas de imigração na fronteira. Mas voltou a ameaçar que Trump poderá impor tarifas caso o México falhe em cumpri-lo.

O acordo prevê que muitos dos imigrantes que cruzarem a fronteira americana pelo México e pedirem asilo nos EUA aguardarão o resultado do processo em território mexicano. Esse era um dos pontos mais complicados das negociações.

"Agora temos um acordo que acreditamos que vai resolver a questão da imigração. E isso foi extremamente importante para o presidente", disse Mnuchin à Reuters, em uma entrevista durante uma reunião do G20 em Fukuoka, no Japão.

Mnuchin, no entanto, voltou a ameçar que o presidente manteria o direito de impor tarifas se o México não cumprisse seus compromissos.

Leia também: Casal lésbico é agredido por quatro homens após recusar se beijar

"Nossa expectativa é que o México faça o que eles se comprometeram a fazer e nossa expectativa é de que não precisaremos colocar as tarifas em vigor, mas obviamente, se esse não for o caso, o presidente mantém essa autoridade", finalizou.

    Leia tudo sobre: Donald Trump