Tamanho do texto

Incidente envolveu um cruzador de mísseis americanoe um destroier russo , que chegaram a uma distância entre 15 e 50 metros um do outro

Navios
EPA
Navios dos EUA e da Rússia quase se chocaram


Dois navios de guerra dos Estados Unidos e da Rússia quase se chocaram nesta sexta-feira (7), no Mar da China Oriental, ficando a poucos metros de um desastre de consequências incalculáveis para a geopolítica mundial.

O incidente envolveu um cruzador de mísseis americano, o USS Chancellorsville, e um destroier russo, o Admiral Vinogradov, que chegaram a uma distância entre 15 e 50 metros um do outro. Os navios conseguiram desviar.

Leia também: Navio de cruzeiro perde controle e atinge porto em Veneza

Os dois países se acusaram mutuamente pelo quase-acidente e dizem que seus navios tiveram de fazer manobras de emergência para evitar a colisão.

"As ações da Rússia não são seguras, são pouco profissionais e não estão em conformidade com o regulamento internacional para prevenir colisões no mar", disse um porta-voz da Sétima Frota dos EUA , Clayton Doss.

Leia também: Incêndio em navios deixa pelo menos 14 pessoas mortas na Crimeia; assista

Já as Forças Armadas russas acusaram o USS Chancellorsville de mudar "repentinamente" de direção e atravessar a rota de seu destroier.

"Enquanto um destacamento de navios da Frota do Pacífico e um grupo de cruzadores da Marinha dos EUA estavam em rotas paralelas, o USS Chancellorsville mudou de direção repentinamente, cortando a rota do Admiral Vinogradov", justificou a Rússia.