Tamanho do texto

Ministério Público de Veneza abriu inquérito para apurar colisão, mas até o momento ninguém foi inscrito na lista de investigados; caso do último domingo reacendeu discussão sobre fim da navegação de cruzeiros na cidade

Navio colidindo contra cais do porto de Veneza
Reprodução
Navio de cruzeiro bateu em doca em Veneza na Itália; quatro pessoas ficaram feridas

Em uma mensagem de áudio enviada ao chefe do porto de Veneza, o capitão do navio que colidiu no último domingo (2) afirma que fez o possível para evitar o acidente. O capitão, cujo nome ainda não foi divulgado, relata que tentou lançar duas âncoras ao mar para conter o navio.

Nesta segunda-feira (3), o Ministério Público de Veneza abriu um inquérito sobre a  colisão do navio da MSC Cruzeiros contra um cais e um barco no porto de Veneza . A hipótese é de violações das normas de segurança na navegação, mas ninguém ainda foi inscrito na lista de investigados.

 O procurador responsável pelo caso pediu a apreensão dos sistemas de movimento do navio (motores, timões e caixas-pretas). O transatlântico apresentava uma avaria nos motores, e os rebocadores não conseguiram pará-lo a tempo.

O MP ainda pode abrir um inquérito por lesões, mas as quatro turistas feridas no incidente não apresentaram nenhuma denúncia.

Veja o vídeo do acidente:


Explicações

O presidente da Autoridade do Sistema Portuário do Mar Adriático Setentrional, Pino Musolino, foi convocado com urgência para uma reunião no Ministério dos Transportes e da Infraestrutura da Itália, em Roma, para explicar a colisão.

Ele é o responsável pela administração do porto de Veneza, que fica no norte do Mar Adriático. Musolino se reunirá com o ministro Danilo Toninelli, que vem sendo criticado por ainda não ter dado aval a um projeto para tirar navios de cruzeiro do centro histórico da capital do Vêneto.

Leia também: Corpos de família de brasileiros morta no Chile serão trazidos hoje ao Brasil

Fim dos cruzeiros

O acidente reacendeu o debate sobre a navegação de grandes embarcações pela Bacia de San Marco e pelo Canal de Giudecca, no centro histórico da cidade. Um projeto de novembro de 2017 propõe tirar navios de cruzeiro do coração de Veneza .

Atualmente, os grandes navios cruzam a Bacia de San Marco, em pleno centro histórico veneziano, e o Canal de Giudecca, representando um risco para o frágil ecossistema da cidade. Essas embarcações atracam no terminal de passageiros de Veneza , que fica na parte insular do município, ao lado da Estação Santa Lucia.

O plano definido em 2017, por sua vez, prevê que navios com mais de 55 mil toneladas sejam direcionados a Marghera, bairro situado no continente e que abriga um dos mais importantes portos comerciais da Itália.

O ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini, secretário da Liga, deu eco às cobranças e afirmou nesta segunda-feira (3) que o projeto para retirar os grandes navios do centro histórico de Veneza deve ser feito "imediatamente".

Leia também: Monstro do Lago Ness "pode ser real", revela estudo internacional

"O turismo é uma parte fundamental da economia italiana e pode ser feito de maneira inteligente, reduzindo os riscos. Como existe um projeto que espera aprovação há tempos, acho que é hora de aprovar esse projeto", declarou Salvini sobre a mudança do porto de Veneza .