Tamanho do texto

Munira Abdulla entrou em coma após tentar proteger o filho em acidente de carro; vítima ficou 27 anos sem se mover e sendo alimentada por sondas

mulher em coma acorda
Reprodução/Twitter
Munira Abdulla acordou chamando pelo nome do filho em junho do ano passado

Uma mulher de Al Ain, nos Emirados Árabes Unidos, surpreendeu a todos ao acordar de um coma 27 anos depois de sofrer um acidente e ficar inconsciente. O caso aconteceu em junho do ano passado, mas ganhou a imprensa internacional somente na última semana.

Leia também: Bebê entra em coma alcoólico após pai dar cachaça com refrigerante, na Bahia

Munira Abdulla ficou em coma após sofrer um acidente em 1991, enquanto levava seu filho Omar, que na época tinha quatro anos, para a escola. Um ônibus escolar colidiu com o carro em que estava e, para proteger o menino, Munira se jogou em cima da criança no momento da batida.

Horas após o acidente , a mulher foi socorrida e levada ao hospital, onde os médicos diagnosticaram que a vítima estava em estado de mínima consciência e não podia se mover, tendo que passar a sobreviver por equipamentos e se alimentar por sonda. De acordo com o jornal The National , Munira foi transferida de hospital para hospital, até receber a oportunidade de tratamento na Alemanha da Corte Real do Emirados Árabes em 2017, que ficou sabendo da história e resolveu ajudar.

Leia também: Mulher em coma há mais de 10 anos dá à luz em clínica; polícia investiga estupro

No hospital alemão, a mulher passou a fazer um tratamento para reforçar a musculatura do corpo de Munira, a fim de que ela se desenvolvesse em um corpo saudável. Foi então que, no ano passado, a mulher despertou chamando pelo filho.

“Estava tendo um desentendimento no quarto do hospital e parece que ela sentiu que eu estava em risco. Isso causou algum tipo de choque e minha mãe começou a fazer sons estranhos”, relatou Omar ao jornal. O homem ainda afirmou que compartilha essa história com todos para que não desistam das pessoas que amam e continuem insistindo, mesmo que seja “um caso perdido”.  

Leia também: Homem morre com granada no bolso durante atendimento em Hospital no Rio

Após acordar do coma , Munira passou a conversar normalmente com todos e, hoje em dia, costuma acordar o filho no meio da noite para rezar com ela em agradecimento.