Tamanho do texto

Nenhum dos funcionários estava ciente de que a vítima estava grávida até o momento em que ela deu a luz; caso se deu nos EUA, no fim de dezembro

Hacienda HealthCare, a clínica onde a vítima estava em coma
Reprodução/Google Maps
Hacienda HealthCare, a clínica onde a vítima estava em coma

A polícia de Phoenix, nos Estados Unidos, está investigando o possível estupro de uma mulher que deu à luz em uma clínica no último dia 29. Ocorre que a mulher está em coma há mais de uma década por conta de um afogamento, conforme informara os familiares da vítima. 

Leia também: Homem é espancado após tentar abusar de jovem com deficiência no litoral de SP

Uma fonte da família destacou em entrevista à Fox que nenhum funcionário da clínica sabia da gravidez da mulher em coma , e ressaltou que a vítima não tinha a menor chance de se defender de uma tentativa de estupro.

"Nenhum dos funcionários estava ciente de que ela estava grávida até o momento que ela estava dando à luz. Pelo que me disseram, ela estava gemendo. E eles não sabiam o que havia de errado com ela", disse. Segundo esse familiar, a criança passa bem.

A clínica Hacienda Health Care, onde o provável crime aconteceu, informou que mudou o protocolo de atendimento e afirmou que sempre que um funcionário precisar entrar no quarto de uma paciente, será acompanhado de alguma funcionária. 

Leia também: Presença de mulheres 'impuras' em templo hindu gera protestos na Índia

Após a repercussão do caso, a organização divulgou mais duas declarações, prometendo dar uma resposta sobre o que aconteceu. “Como organização, a Hacienda Health Care está totalmente comprometida em obter a verdade de que, para nós, representa um assunto sem precedentes”, disse David Leibowitz, porta-voz da clínica, em um comunicado.

O comunicado acrescenta que a Hacienda “já está conduzindo uma revisão interna abrangente de nossos processos, protocolos e pessoas para garantir que todos os residentes do Hacienda sejam tão seguros e bem cuidados quanto possível". "Qualquer coisa menor do que isso é inaceitável para a nossa equipe, para os líderes de nossa empresa e para as comunidades que servimos." 

Leia também: Jovem saudita faz barricada em hotel para evitar ser devolvida à família

A polícia ainda não indicou se há suspeitos de terem abusado sexualmente da vítima, que estava em coma . O Departamento de Saúde do Arizona também investiga o caaso e afirmou que está "ciente dessa situação e trabalhando ativamente com a polícia local em sua investigação criminal".

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.