Tamanho do texto

Governo de Nicolás Maduro afirma que a rede social "violou mais uma vez a liberdade de expressão para defender seus próprios interesses"

Maduro
Divulgação/Governo da Venezuela - 30.7.2017
Maduro reclama que contas da Venezuela foram suspensas pelo Twitter


O governo da Venezuela acusou o Twitter de suspender contas institucionais e de ministérios do governo de Nicolás Maduro, como o da Mulher, da Educação e de Energia. Caracas afirma que a rede social "violou mais uma vez a liberdade de expressão para defender seus próprios interesses".

Leia também: Em discurso, Guaidó cita Chapolim e diz que Maduro “não contava com sua astúcia"

Outras entidades da Venezuela , como a agência de notícias AVN, o Ministério do Petróleo e os jornais "El Correo del Orinoco", também teriam sido afetados, além de contas de embaixadas e consulados venezuelanos pelo mundo.

O líder da oposição e autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, fez um novo apelo para que as pessoas saiam às ruas para protestar neste feriado mundial de 1 de maio.

Segundo Guaidó , hoje é a "fase definitiva da Operação Liberdade". Em um vídeo de quase três minutos divulgado no Youtube, Guaidó disse que "sabíamos que o início não seria fácil", mas "provamos que há soldados dispostos a defender a Constituição".

Leia também: Triplica entrada de venezuelanos na fronteira com Brasil após novos conflitos

"Posso garantir que [o presidente Nicolás] Maduro não tem o respeito das Forças Armadas". Guaidó disse ainda que recebeu informações de que Maduro "tinha tudo pronto" para deixar o país, mas "forças estrangeiras obrigaram-no a ficar".

O opositor anunciou ontem que tinha conquistado o apoio das Forças Armadas da Venezuela para tirar Maduro do poder. Guaidó convocou uma multidão às ruas, que entrou em confronto com os agentes oficiais do governo.

Leia também: Guaidó convoca população da Venezuela para novo protesto nesta quarta-feira

De acordo com testemunhas, a tensão na Venezuela está alta, há relatos de feridos e ao menos um jovem de 24 anos morreu nos confrontos. Ao longo de toda a terça-feira (30), houve expectativa entre os países aliados e contrários ao regime de Maduro sobre um possível desfecho para a crise política na Venezuela .