Tamanho do texto

Em entrevista, Presidente não descartou possível intervenção militar na Venezuela e falou sobre apoio americano no conflito

jair bolsonaro dando entrevista
Marcos Corrêa/PR
Bolsonaro não descarta intervenção militar na Venezuela, mas diz que chance é "quase zero"

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (30), em entrevista à TV Band, que a chance de o Brasil participar de um intervenção militar na Venezuela é "próxima de zero", mas não descartou a hipótese. Bolsonaro disse esperar que a situação no país vizinho seja resolvida de forma pacífica.  

Leia também: Bolsonaro declara apoio a povo venezuelano 'escravizado por Maduro'

“Agora, digo uma coisa, a hipótese de nós participarmos de forma mesmo indireta de uma intervenção armada, é muito difícil, não vou dizer que é zero, mas é próxima de zero”, disse.Ressaltando sua origem militar, Bolsonaro disse que irá  "analisar todas a hipóteses" e destacou que o Brasil "ainda" não cogita uma ação militar na Venezuela .  

“Nós trabalhamos de forma bastante unida, buscando a solução para o problema de forma pacífica. Mas, como todo bom militar, você tem que analisar todas aa hipóteses. Não passa por nossa cabeça ainda qualquer ação militar na Venezuela”, completou Bolsonaro

Sobre a possibilidade de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pedir autorização para usar o território brasileiro para intervir na Venezuela, Bolsonaro disse que consultaria o Conselho Nacional de Defesa: “Ele, por ventura, querendo usar o território brasileiro, eu digo o seguinte: eu convocaria o Conselho Nacional de Defesa, ouviria todas as autoridades do Conselho Nacional de Defesa e tomaria uma decisão.   

O Presidente Jair Bolsonaro convocou uma  reunião de emergência na tarde de terça-feira para tratar da Venezuela . Ele assinou uma  Medida Provisória que destina R$ 223 milhões ao Ministério da Defesa para a chamada "Operação Acolhida", que tem como objetivo auxiliar venezuelanos que vieram ao Brasil por conta da crise no país.

    Leia tudo sobre: donald trump