Pedro Pablo Kuczynski
HO / Peruvian Presidency / AFP
Pedro Pablo Kuczynski, ex-presidente do Peru que está envolvido no escândalo da Odebrecht

O ex-presidente peruano Pedro Pablo Kuczynski, que está hospitalizado com problemas cardíacos, passará por uma cirurgia de emergência neste sábado. Kuczynski está detido como parte das investigações do caso Odebrecht no país.

Leia também: Justiça peruana determina prisão preventiva de Kuczynski por três anos

"Esperemos o melhor. Não é estável (sua condição). Ele necessita de uma cirurgia de emergência esta tarde. Vamos ver o que acontecerá", disse Alex Kuczynski ao Canal N. Ela é filha do ex-presidente envolvido no escândalo da Odebrecht no país.

Pedro Pablo Kuczynski , de 80 anos, está internado na unidade de cuidados intensivos da Clínica Anglo Americana de Lima devido a uma crise de hipertensão sofrida no último dia 16.

Um informe médico revelou na quarta-feira que Kuczynski apresentava taquicardia ventricular esporádica, com risco de variação diante de situações de estresse, com potencial risco de fibrilação ventricular e de morte súbita. Além disso, tem fibrilação auricular crônica revertida.

Leia também: Guaidó quer ajuda de Moro para apurar relações da Odebrecht na Venezuela

A Justiça peruana deve decidir nas próximas horas se concede prisão domiciliar ao ex-presidente. No último dia 10, ele recebeu uma ordem de prisão preventiva de 36 meses, em um caso de corrução ligado à construtora brasileira Odebrecht. Kuczynski, que governou Peru de 2016 a 2018, é investigado por suposta lavagem de dinheiro. O escândalo Odebrecht atingiu quatro ex-presidentes do país.

Kuczynski, um bem-sucedido ex-banqueiro de Wall Street, é investigado por pagamentos da Odebrecht a duas empresas legadas a ele quando era ministro da Economia do presidente Alejandro Toledo (2001-2006).

Leia também: Conheça Alan García, ex-presidente peruano que se matou para não ser preso

Além disso, Jorge Barata, ex-chefe da Odebrecht no Peru, disse a promotores peruanos no Brasil esta semana que a empresa contribuiu ilegalmente com US$ 300 mil à campanha presidencial de Kuczynski.

O ex-presidente Alan García, que governou o país de 2006 a 2011, se suicidou há dez dias no momento em que ia ser detido devido a uma investigação ligada ao caso Odebrecht .

    Veja Também

      Mostrar mais