Tamanho do texto

Movimento Extinction Rebellion pede instauração de um "estado de emergência ecológica"; durante ato nesta quarta-feira (17), manifestantes chegaram a colar a si mesmos no teto de trem de estação no centro da cidade

protestos ecológicos londres
Reprodução/Twitter/Extinction Rebellion
Maior parte dos manifestantes detidos bloqueavam ponte de Waterloo durante protesto

Quase 300 pessoas foram detidas pela polícia britânica durante protestos que estão sendo realizados ao longo dessa semana pelo movimento Extinction Rebellion, em Londres. Segundo as autoridades, a ação dos manifestantes pede pela instauração de um “estado de emergência climática e ecológica” e deve ocorrer em 80 cidades de 30 países, até o próximo dia 22.

Leia também: Islamismo e fé ganham protagonismo nas eleições desta quarta na Indonésia

Cinco pontos emblemáticos da capital foram bloqueados pelos manifestantes , que tiveram início na segunda-feira (15): Marble Arch, Oxford Circus, a ponte de Waterloo, Parliament Square e Piccadilly Circus.

De acordo com a polícia local, 290 ativistas foram detidos, sendo que a maior parte das prisões aconteceram na ponte de Waterloo, onde os manifestantes mostraram cartazes que diziam “não existe Planeta B” e “extinção é para sempre”. Algumas pessoas ainda se amarraram a veículos que estavam estacionados na ponte, utilizando cadeados para bicicletas.

Além disso, três homens e duas mulheres teriam ocupado o escritório da empresa petrolífera Shell e quebrado uma janela do local. Apesar da intervenção policial, a fim de manter a ordem pública, nesta terça-feira (16), as ruas ainda estavam interrompidas e a ponte continuou obstruída.

Enquanto isso, na manhã desta quarta-feira (17), dois protestantes subiram em cima de um trem na estação de Canary Wharf, para pedir por mudanças. Segundo as autoridades de Londres , o homem e a mulher ainda colaram a si mesmos no teto do trem, paralisando o serviço.

Leia também: França lança concurso internacional de arquitetura para reconstruir Notre-Dame

Ao The Guardian , Angie Zealter, de 67 anos, que foi presa durante os protestos , afirmou que “este é um momento muito importante da história – deveria ter acontecido há 50 anos, mas pelo menos está a acontecer agora. Estamos a ficar sem tempo e o Governo tem de ouvir-nos”.

protestos londres
Reprodução/Twitter/Extinction Rebellion
Manifestantes continuaram com os protestos até a próxima segunda (22)

O Extinction Rebellion tem como objetivo causar impacto na sociedade por meio de atos de desobediência sem recorrer à violência, reivindicando a implantação de políticas para reduzir as emissões de dióxido de carbono para zero até 2025 e a criação de uma assembleia para que os cidadãos tomem decisões em relação às alterações climáticas e à perda de biodiversidade.

Leia também: Parlamento do Egito aprova lei que pode manter presidente no poder até 2030

A primeira-ministra britânica, Theresa May, chegou a receber uma carta dos manifestantes apresentando as reivindicações e advertindo que os problemas que envolvem as questões climáticas não podem ser ignoradas e precisam ser alvo de ações diretas por parte do Governo.