Tamanho do texto

Serviço Secreto é a unidade policial encarregada da proteção do presidente Donald Trump e passa por mudanças e troca de cargos há alguns dias

undefined
Divulgação
Randolph Alles deixou o cargo de diretor do serviço secreto dos Estados Unidos


Um dia depois do anúncio da saída da secretária de Segurança Interna, Kirstjen Nielsen, o governo dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira (8) que o diretor do Serviço Secreto, Randolph Alles, também deixará em breve seu posto, um movimento que a imprensa americana está descrevendo como uma grande reestruturação na liderança do Departamento de Segurança Interna. o Serviço Secreto é a unidade policial encarregada da proteção do presidente.

Leia também: "Dizem que somos trumpistas, o que é um pouco verdade", diz Ernesto Araújo

Além deles, outros dois líderes devem sair em breve, revelaram autoridades: Francis Cissna, chefe dos Serviços de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos, John Mitnik, conselheiro-geral do Serviço Secreto.

"O diretor do Serviço Secreto dos EUA Randolph Alles deixará o cargo em breve e o presidente Trump escolheu James Murray, membro de carreira do órgçao, para substituí-lo a partir de maio", informou Sarah Sanders, porta-voz do presidente. 

Leia também: Câmara dos EUA aciona Justiça contra decreto de emergência de Trump

Kirstjen Nielsen, de 46 anos, pediu demissão. Ela ocupou três altos cargos no governo Donald Trump, desde janeiro de 2017. O pedido foi aceito.

Leia também: Enviado especial dos EUA à Venezuela diz que ainda não é hora para intervenção

A renúncia de Nielsen ocorre no momento em que o presidente norte-americano expressa frustração com o aumento no número de migrantes que cruzam a fronteira do México com os Estados Unidos .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.