Com prazo chegando ao fim, May pensa em alternativas para resolver a questão do Brexit
Reprodução/Twitter
Com prazo chegando ao fim, May pensa em alternativas para resolver a questão do Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, enviou uma carta ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, pedindo para que a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) seja adiada para o dia 30 de junho. O acordo inicial prevê que o Brexit aconteça em menos de duas semanas, no dia 29 de março.

Após ver seu projeto ser novamente rejeitado no Parlamento britânico no início do mês , May pretende usar o novo prazo para conquistar a aprovação do acordo do Brexit em uma terceira votação – ação que foi proibída. Segundo a premier, a decisão exclui a hipótese de uma prorrogação prolongada, o que seria “inaceitável” do ponto de vista de May, já que o Reino Unido seria obrigado a participar das próximas eleições europeias três anos após ter tomado a decisão de sair do bloco.

No entanto, o pedido ainda precisa passar pela aprovação dos 27 Estados-membros da União Europeia, que se reunirão em Bruxelas nesta quinta-feira (21) para tratar sobre o assunto. Caso o adiamento não seja aprovado, o Reino Unido corre o risco de sair do bloco sem que as partes envolvidas entrem em um acordo, cenário que assusta grande parte dos britânicos.

Leia também: "Nenhuma solução foi identificada" para resolver o impasse do Brexit, diz UE

Enquanto isso, o líder da oposição, Jeremy Corbyn, chamou o governo conservador de “incompetente” e anunciou que também irá à reunião em Bruxelas, a fim de discutir seu “plano B” com os líderes europeus e com o negociador-chefe da União Europeia, Michel Barnier.

Você viu?

A porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, afirmou que o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, discutiu detalhes sobre o acordo envolvendo o Brexit com Theresa May , nesta manhã. A premier britânica ainda teria sido advertida por ter sugerido uma data após as eleições europeias, que acontecem no dia 23 de maio.

Leia também: União Europeia afirma que Reino Unido pode revogar unilateralmente o Brexit

A questão que mais enfrenta barreiras no acordo é o chamado ‘backstop’, princípio que prevê uma fronteira aberta entre a Irlanda do Norte, território britânico, e a República da Irlanda, membro da UE. No último projeto do Brexit apresentado, May havia feito alterações neste ponto que, porém, não surtiram efeito, já que o acordo foi rejeitado no Parlamento por 391 votos contra 242.

*Com informações da Ansa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários