Ciclone Idai atingiu Moçambique, Zimbábue e Malaui deixando um rastro de destruição
MODIS/NASA
Ciclone Idai atingiu Moçambique, Zimbábue e Malaui deixando um rastro de destruição

O ciclone Idai atingiu Moçambique, Zimbábue e Malaui, deixando destruição e muitas mortes. Segundo a última atualização da Cruz Vermelha o número de fatalidades é igual 138 nos três países. A Organização das Nações Unidas afirma que o número de vítimas pode aumentar nos próximos dias.

Leia também: Ataque deixa três mortos e nove feridos na Holanda; terrorismo não é descartado

No Zimbábue, onde o governo já declarou estado de desastre nas regiões afetadas, o número de mortos pela passagem do ciclone Idai passou de 64 para 89 nas últimas horas. Em Moçambique estão confirmados 73 mortos. No Malaui , os últimos dados indicam a morte de 56 pessoas.

De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a tempestade tropical afetou mais de 1,6 milhão de pessoas nos três países. Em Moçambique, mais de 90% de Beira, a quarta maior cidade do país, foi destruída e há muitos pontos de inundação. Beira está sem eletricidade e comunicações e isolada por terra.

"A situação é terrível. Os meios de comunicação estão totalmente cortados e as estradas estão destruídas. Muitas localidades são inacessíveis", afirmou Jamie LeSueur, da Cruz Vermelha,em comunicado. "Nos contaram que situação pode ser pior fora da cidade. No domingo, uma represa cedeu e cortou a última estrada ainda acessível para seguir até a cidade", explicou LeSueur.

Você viu?

Leia também: Sobe para 50 número de mortos em atentados na Nova Zelândia

O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, divulgou imagens da destruição provocada pelo ciclone Idai
Reprodução/Facebook presidente Filipe Nyusi
O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, divulgou imagens da destruição provocada pelo ciclone Idai

O presidente de Moçambique , Filipe Nyusi, sobrevoou a área afetada pelo ciclone e disse que os danos são “muito preocupantes”. As autoridades acreditam que as enchentes provocadas pela tempestade podem piorar ainda mais nos próximos dias, uma vez que a chuva forte deve continuar.

“Está muito mal. A situação é grave, porque muitas pessoas continuam em cima das árvores e das casas”, afirmou Nyusi.

Grande parte de Moçambique está alagada e sem comunicações em função da passagem do ciclone Idai
Reprodução/Facebook presidente Filipe Nyusi
Grande parte de Moçambique está alagada e sem comunicações em função da passagem do ciclone Idai

No Zimbábue , as mortes foram registradas principalmente em Chimanimani, uma região montanhosa perto da fronteira com Moçambique. Até agora não há registros de turistas entre as vítimas. Segundo a televisão estatal do Zimbábue, ZBC, 150 pessoas estão desaparecidas.

Leia também: Jovens do mundo todo protestam por medidas contra mudanças climáticas

O ciclone Idai atingiu o centro de Moçambique na noite de quinta-feira (14) e seguiu em direção ao Zimbábue e o Malaui, destruindo estradas, escolas, casas, lojas, hospitais e até mesmo uma represa em sua passagem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários