undefined
Reprodução/Twitter
Christchurch, onde aconteceram os ataques, é a terceira maior cidade da Nova Zelândia

A polícia da Nova Zelândia informou, na manhã deste domingo (17, horário local), que o número de mortos nos atentados a mesquitas nas cidade de Christchurch aumentou para 50. De acordo com a polícia da Nova Zelândia, no processo de remoção de corpos das duas mesquitas foi encontrada mais uma vítima fatal que não havia sido contabilizada.

Leia também: Primeira-ministra da Nova Zelândia quer mudar lei de armas após atentado

"É com tristeza que eu aviso que o número de pessoas que morreram nesse evento subiu agora para 50. Na última noite, conseguimos retirar todas as vítimas de ambas as cenas. Ao fazer isso, nós conseguimos localizar uma nova vítima", afirmou o comissário da polícia da Nova Zelândia Mike Bush em entrevista.

Bush também explicou que, dos três detidos na sexta suspeitos pelo atentado, dois foram liberados por não estarem conectados ao caso. "No momento, só uma pessoa foi acusada em relação a esses ataques", afirmou.

O comissário afirmou ainda que a polícia também está atuando para identificar as vítimas, para que elas possam ser enterradas o mais rápido possível. Neste domingo as autoridades começaram a liberar os corpos das 50 vítimas do atentado para as famílias, segundo anunciou a primeira-ministra do país, Jacinda Ardern .

Leia também: Admirado por atirador, Trump condena "massacre sem sentido" na Nova Zelândia

Familiares e representantes da comunidade muçulmana pedem que a entrega se dê de forma mais rápida para que eles possam realizar os ritos funerários dentro da sua crença religiosa, que estabelece um prazo de 24 horas para enterrar os mortos.

O governo e a polícia neozelandesa demonstraram compreensão e interesse em satisfazer a reivindicação dos familiares, mas pediram paciência para que o possa legista concluir a identificação dos corpos.

A primeira-ministra, no entanto, não garantiu que este prazo será respeitado. "Os corpos vão começar a ser devolvidos ao final da tarde. Será um pequeno número. Esperamos que todos tenham sido devolvidos até quarta-feira", declarou Ardern à imprensa.

As vítimas incluem homens, mulheres e crianças. Os nomes ainda não foram divulgados oficialmente por autoridades neozelandesas, apesar de algumas famílias terem confirmado as mortes à imprensa. "Não compartilharemos informação [sobre os mortos] até que eles estejam formalmente identificados", disse Mike Bush.

No último dia 15, as mesquitas Masjid Al Noor e Linwood, na cidade de Christchurch , na Nova Zelândia , foram alvos de ataques simultâneos . Além dos 50 mortos, 48 pessoas ficaram feridas, sendo 20 em estado grave.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários