Tamanho do texto

Avião da Ethiopian Airlines iria da Etiópia para o Quênia e caiu poucos minutos após decolar; entre os mortos, eram 149 passageiros e 8 tripulantes

Avião da Ethiopian Airlines caiu poucos minutos depois de decolar, na Etiópia, e matou todas as 157 pessoas que estavam a bordo
Pixabay
Avião da Ethiopian Airlines caiu poucos minutos depois de decolar, na Etiópia, e matou todas as 157 pessoas que estavam a bordo



A queda de um avião boeing 737-800 MAX da Ethiopian Airlines deixou 157 pessoas mortas na manhã deste domingo (10). A aeronave iria da capital da Etiópia, Adis Abeba, para Nairobi, no Quênia, quando caiu poucos minutos depois de decolar.

Leia também: Apagão na Venezuela deixa 13 mortos em hospital; já são quase 48h sem luz

De acordo com a companhia aérea, o voo ET 302 saiu às 8h38 do aeroporto de Bole, em Adis Abeba, e perdeu o contato com a torre de controle apenas seis minutos depois, às  8h44. A queda aconteceu perto da cidade de Bishoftu, a apenas 62 quilômetros do ponto inicial de partida, na capital da  Etiópia .

Das 157 pessoas que estavam na aeronave no momento da queda, 149 eram passageiros e oito eram tripulantes. Ninguém sobreviveu. Segundo a Ethiopian Airlines , os mortos eram de 35  nacionalidades diferentes.

Até o momento, as causas do acidente são desconhecidas. A rede Flightradar24 ADS-B, de rastreamento de voos, entretanto, disse no Twitter que " dados mostraram que a velocidade vertical da aeronave ficou instável depois da decolagem."






Leia também: Coreia do Norte reativa base de lançamento de mísseis; EUA quer manter diálogo

O CEO da Ethiopian Airlines, Tewolde G Medhin, disse que o piloto relatou dificuldades após a decolagem e chegou a pedir autorização para regressar ao aeroporto. A controladoria de voo permitiu a volta da aeronave.

Em nota, Medhin, que está no local da queda, lamentou o ocorrido e expressou "sua profunda simpatia e condolências aos familiares, amigos e conhecidos dos passageiros que perderam suas vidas neste trágico acidente ."





Leia também: "Nenhuma solução foi identificada" para resolver o impasse do Brexit, diz UE

A companhia aérea também divulgou as nacionalidades dos passageiros.

  • Quênia: 32
  • Canadá: 18
  • Etiópia: nove
  • China: oito
  • EUA: oito
  • Itália: oito
  • França: sete
  • Reino Unido: sete
  • Egito: seis
  • Alemanha: cinco
  • Índia: quatro
  • Eslováquia: quatro
  • Áustria: três
  • Rússia: três
  • Suécia: três
  • Espanha: dois
  • Israel: dois
  • Marrocos: dois
  • Polônia: dois
  • Bélgica: um
  • Djibuti: um
  • Indonésia: um
  • Irlanda: um
  • Moçambique: um
  • Noruega: um
  • Ruanda: um
  • Arábia Saudita: um
  • Sudão: um
  • Somália: um
  • Sérvia: um
  • Togo: um
  • Uganda: um
  • Iêmen: um
  • Nepal: um
  • Nigéria: um
  • Passaporte da ONU

O primeiro-ministro da Etiópia , Abiy Ahmed, foi um dos primeiros a se pronunciar no Twitter, onde expressou suas "profundas condolências".


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.