Tamanho do texto

No Twitter, o presidente autoproclamado da Venezuela disse que reunião de hoje deve dar o pontapé inicial para "governo de transição e eleições livres"

Juan Guaidó faz reunião nesta terça-feira (5) com funcionários públicos da Venezuela
Reprodução/Twitter
Juan Guaidó faz reunião nesta terça-feira (5) com funcionários públicos da Venezuela


O autodeclarado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, disse que vai se reunir nesta terça-feira (5) com funcionários públicos do país. Em sua conta oficial no Twitter, ele comemorou o encontro com os trabalhadores, que chamou de "primeiros passos" para recuperar a democracia.

Leia também: "Vamos com tudo até conseguir a liberdade do nosso país”, discursa Guaidó

“Nos reuniremos com os empregados públicos. Vamos dar os primeiros passos para recuperar a democracia e seguir construindo as capacidades dentro e fora do país que nos permitam cessar a usurpação, [implementar] o governo de transição e [promover] eleições livres”, disse Juan Guaidó na rede social.


O presidente interino já havia dito anteriormente que trabalhadores públicos, entre militares e civis que trabalham no governo de  Nicolás Maduro,  podem ser anistiados. Guaidó chegou até a sugerir, em janeiro, a  anistia do próprio Maduro em caso da entrega do poder.

Desobedecendo a ordem de Maduro, que proibiu Guaidó de deixar o país, o presidente interino passou uma semana em turnê pela América do Sul e retornou na ontem (4) à Venezuela , onde foi recebido por embaixadores sul-americanos, europeus e norte-americano, além de uma multidão.

Em seu discurso de retorno, ele convocou novas manifestações para o sábado (9) e afirmou que buscaria mais adesão entre funcionários públicos . Ele também declarou que tem grande apoio entre os militares, apesar de apenas 700 militares terem desertado. Segundo Guaidó, seriam 80% de apoiadores entre os membros das Forças Armadas.

Juan Guaidó  saiu da Venezuela para  organizar a tentativa de entrada de ajuda humanitária  vinda dos Estados Unidos, do Brasil e da Colômbia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas