Tamanho do texto

Francisco Yánez também convocou o povo a se manifestar contra Maduro

Francisco Yánez divulgou um vídeo no qual declara apoio a Juan Guaidó como presidente da Venezuela
Reprodução Twitter
Francisco Yánez divulgou um vídeo no qual declara apoio a Juan Guaidó como presidente da Venezuela

Pela primeira vez, o General de Divisão da Aviação Venezuela Francisco Yánez, declarou apoio a Juan Guaidó, opositor de Nicolás Maduro que se autoproclamou presidente interino da Venezuela.

Leia também: Opositor de Maduro denuncia invasão de militares venezuelanos em sua casa

“Convido a todo o povo da Venezuela que saia pacificamente pelas ruas e defenda o nosso presidente Juan Guaidó. Aos meus companheiros de armas, lhes peço que não os reprimam mais. [...] O tempo da pátria é agora. O tempo da democracia já chegou. Saiam e apoiem o nosso presidente Juan Guaidó”, disse o general, diretor de planejamento estratégico do alto-comando da aviação venezuelana, em vídeo.


Yánez também afirmou que existem dois aviões prontos, à disposição de Maduro. “Que se vá!”, completou.

A manifestação pública do general repercutiu nas Forças Armadas. O Twitter oficial do comandante-geral da Aviação Militar da Venezuela, Pedro Alberto Juliac Lartiguez, chamou Yánez de traidor. “Não se podia esperar menos do traidor General de Divisão Francisco Esteban Yánez Rodriguez”. A Aeronáutica também criticou Yánez no Twitter.


A posição dos militares é peça-chave no conturbado xadrez político venezuelano neste momento. Na semana passada, logo após Juan Guaidó se autoproclamar presidente, Maduro fez apelo também cobrou "lealdade máxima" das Forças Armadas para combater o que chamou de "golpe de Estado".

Leia também: Juan Guaidó sugere anistia para Maduro abandonar presidência da Venezuela

"Peço às Forças Armadas da Venezuela máxima lealdade e disciplina porque vamos vencer esta luta", disse. Pelo caminho que tomaram, só há como destino o fracasso político do golpe de Estado que pretendem na Venezuela", disse o chavista, no último dia 23.

Novos protestos acontecem neste sábado (2)  na Venezuela. O líder do parlamento chamou os cidadãos venezuelanos para sair às ruas contra Maduro em todas as cidades do país. Esta é a segunda manifestação contra o governo só nesta semana.

Guaidó já foi reconhecido como presidente por grande parte da comunidade internacional, incluindo os governos de Trump e Bolsonaro. O Parlamento Europeu e a Organização dos Estados Americanos (OEA) também já reconheceram o governo interino. A Organização das Nações Unidas (ONU) apelou pela realização de novas eleições.

Leia também: Militares venezuelanos entenderam que Maduro chegou ao limite, diz Mourão

Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino da Venezuela logo após Maduro tomar posse para seu segundo mandato na presidência, após uma eleição marcada por denúncias de fraudes e pela abstenção de mais da metade dos eleitores venezuelanos. Guaidó afirma pretender guiar o país até a realização de novas eleições.