Tamanho do texto

Líder da oposição afirmou que está seguindo a vontade das ruas; mandatário brasileiro comprometeu-se a apoiar o processo de transição do governo

Presidente Jair Bolsonaro prometeu apoiar política e economicamente o processo de transição  na Venezuela
Alan Santos/PR - 14.1.19
Presidente Jair Bolsonaro prometeu apoiar política e economicamente o processo de transição na Venezuela

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (23) que reconhece o líder do parlamento da Venezuela, Juan Guaidó, como Presidente Encarregado da Venezuela . Principal opositor ao governo de Nicolás Maduro, Guaidó se autoproclamou presidente do país na tarde de hoje. O discurso se deu no meio dos protestos contra e a favor ao atual chefe de Estado.

“O Brasil apoiará política e economicamente o processo de transição para que a democracia e a paz social voltem à Venezuela”, afirmou Jair Bolsonaro . Juan Guaidó também recebeu o reconhecimento do presidente dos EUA, Donald Trump, e do chefe da OEA, Luis Almagro.

Um dos organizadores dos protestos desta quarta-feira na Venezuela , Guaidó subiu no palanque e afirmou que é, "de fato", o presidente do país venezuelano, seguindo a vontade das ruas, que não querem que Nicolás Maduro continue suas ações no país.

"Hoje, 23 de janeiro de 2019, em minha condição de presidente da Assembleia Nacional, ante Deus todo-poderoso e a Venezuela, juro assumir formalmente as competências do Executivo nacional como presidente em exercício da Venezuela.", disse Guaidó .

Antes do juramento, Guaidó reiterou a promessa de anistia aos militares que abandonarem Maduro e apelou para que fiquem “do lado do povo”. Segundo ele, é preciso reagir à “usurpação” do poder por parte do presidente da República, instaurar o governo de transição e eleições livres.

Antes do juramento, Guaidó reiterou a promessa de anistia aos militares que abandonarem Maduro e apelou para que fiquem “do lado do povo”. Segundo ele, é preciso reagir à “usurpação” do poder por parte do presidente da República, instaurar o governo de transição e eleições livres. Guaidó chegou a ser preso no dia 13 de janeiro por agentes de segurança.

No dia anterior, ele tinha comandado uma sessão no parlamento venezuelano em que declarava a presidência da Venezuela "usurpada". Horas depois, acabou liberado pela polícia.

Leia também: Militares venezuelanos são presos após pedirem que Maduro não seja reconhecido

Além de Jair Bolsonaro , o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e outras autoridades mundias apoiaram a ação. "Os cidadãos da Venezuela sofreram por tempo demais nas mãos do regime ilegítimo de Maduro. Hoje, eu reconheci oficialmente o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, como presidente interino da Venezuela", escreveu Donald Trump no Twitter.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas