Tamanho do texto

Menina guatemalteca morreu por desidratação e exaustão, oito horas após atravessar fronteira dos EUA e ficar sob custódia das autoridades americanas

Pais e crianças vivem em péssimas condições na fronteira entre EUA e México
Reprodução/ The Washington Post
Pais e crianças vivem em péssimas condições na fronteira entre EUA e México

Uma menina guatemalteca de sete anos de idade morreu por desidratação e exaustão após atravessar a fronteira dos Estados Unidos com o México e ficar sob a custódia da Patrulha Fronteiriça americana. De acordo com o Washington Post , a menina e seu pai foram detidos oito horas após atravessarem a fronteira ilegalmente, ao sul de Lordsburg (Novo México), e terem sido entregues aos agentes com um grupo de 163 migrantes.

Leia também: Após ataque na França, Trump cobra verba para subir muro na fronteira com México

De acordo com informações do Ministério das Relações Exteriores, a criança se chamava Jackeline Caal. Após vários dias sem comer ou beber água tentando atravessar a fronteira , a garota começou a ter convulsões e foi transferida de helicóptero a um hospital em El Paso, no Texas, com febre de 41 graus. No entanto, a menina não conseguiu ser salva e teve parada cardíaca.

A autópsia ainda levará algumas semanas, porém os médicos do Hospital Providence indicaram que a menina morreu de choque séptico, desidratação e febre. O que ainda não se sabe é se a garota recebeu alimentação ou atendimento médico ao longo da noite em que esteve detida, antes de sofrer as convulsões.

O pai de Jackeline continua em El Paso à espera de reunião com o consulado da Guatemala, segundo o Post . O jornal ainda destaca que a morte da criança pode intensificar o debate em torno das condições de detenção nas estações da Patrulha da Fronteira e nas instalações do serviço de vigilância de fronteiras dos Estados Unidos (CBP), que estão, cada vez mais, sobrecarregadas pelo grande número de famílias que procuram abrigo no país.

Leia também: Advogado de Trump diz que comprou silêncio de duas mulheres a mando dele

O representante da CBP, Andrew Meehan, posicionou-se sobre o ocorrido, prestando condolências a família da vítima. “Os Agentes da Patrulha da Fronteira tomaram todas as medidas possíveis para salvar a vida da criança sob as mais difíceis circunstâncias. Como pais e mães, irmãos e irmãs, temos empatia com a perda de qualquer criança."

Desde o início de seu governo, o presidente dos Estados Unidos , Donald Trump, sustentou postura intolerante em relação à imigração ilegal. O líder ameridano defende a construção de um muro na fronteira com o México , financiada pelo próprio governo mexicano, que não aceita a proposta.

Leia também: Donald Trump é acusado de racismo após vídeo sobre imigrantes

Milhares de soldados já foram mobilizados e 2.000 famílias, separadas pela política de ‘tolerância zero’ em relação a passagem ilegal pela fronteira entre o México e os Estados Unidos.

    Leia tudo sobre: Donald Trump
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.