Tamanho do texto

Buhari falou sobre o assunto durante um encontro na Polônia, onde participa de cúpula climática da ONU; faltam poucos meses para as eleições na Nigéria

Presidente da Nigéria desmente fake news que sustentava que ele havia morrido e sido substituído por um clone
Reprodução/Sky News
Presidente da Nigéria desmente fake news que sustentava que ele havia morrido e sido substituído por um clone

Se as eleições no Brasil foram tomadas pelo fenômeno das chamadas fake news – com  notícias falsas sendo compartilhadas em peso através das redes sociais, antes e durante as campanhas – a Nigéria hoje vive uma situação semelhante. Tanto que o presidente do país teve que passar por uma situação inusitada neste domingo (2): quando veio ao público negar boatos de que tinha morrido e sido substituído por um clone.

Os rumores sustentavam que Muhammadu Buhari havia morrido em decorrência de um período de problemas de saúde. Segundo as notícias falsas, a morte do presidente da Nigéria havia sido ocultada e, sua figura, trocada por um clone sudanês. O chefe de Estado abordou a especulação ao se encontrar com membros da comunidade nigeriana na Polônia, onde participa da cúpula climática da ONU COP24.

"Este é o meu verdadeiro eu, eu garanto", disse ele, respondendo a uma pergunta da plateia. Sua fala gerou risos no local. "Vou celebrar em breve o meu 76º aniversário e continuarei forte", continuou. 

Segundo a SkyNews , a notícia falsa sobre a morte de Buhari já estava tão avançada e amplamente compartilhada que já se falava, inclusive, no nome do suposto clone do presidente nigeriano. Ele se chamaria Jubril, segundo as fake news

Leia também: Polícia Federal poderá investigar boato sobre cancelamento do Enem

Além da declaração dada em pleno evento da ONU, Buhari também enviou um comunicado oficial à imprensa local sobre o assunto, por meio do seu porta-voz, Garba Shehu. "Muitas pessoas esperavam que eu morresse durante minha saúde precária", disse o presidente na nota. "Alguns chegaram até mesmo ao vice-presidente para considerá-lo seu representante, porque eles supunham que eu estava morto", continuou.

Segundo o líder nigeriano, aqueles que estão por trás desses rumores são "irreligiosos" e "ignorantes". O boato surgiu depois que Buhari passou uma grande parte do ano passado sendo tratado por uma doença grave em Londres. A natureza de sua saúde precária nunca foi revelada ao público. 

O problema do amplo compartilhamento de notícias falsas no país ocorre, a exemplo do Brasil , pouco antes das eleições. Por lá, o pleito será em fevereiro do ano que vem. Além da história do clone, um dos candidatos vem sendo acusado de ser proibido de pisar em solo americano por crimes de corrupção, o que também é falso.

Segundo um levantamento da Nieman Journalism Lab , aproximadamente um terço da população do país já compartilhou informações falsas pelo WhatsApp — sendo que, atualmente, existem 190 milhões de habitantes na Nigéria , segundo o censo de 2017.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.