Tamanho do texto

Noventa e duas pessoas foram presas por saques a mercados de áreas atingidas; moradores eram autorizados a pegar suprimentos antes da chegada de ajuda humanitária; número de mortos no país subiu para 1.424

Saques na indonésia ocorreram em cinco cidades da província de Celebes após terremoto seguido por tsunami
BBC/Reprodução
Saques na indonésia ocorreram em cinco cidades da província de Celebes após terremoto seguido por tsunami

Sete dias após o  terremoto seguido por tsunami que atingiu a ilha de Sulawesi, na Indonésia, pelo menos 92 pessoas foram detidas por participar de roubos a lojas e supermercados no país. A maioria dos saques na Indonésia se deu na cidade de Palu, na costa oeste da ilha, embora também tenham sido registradas ocorrências nos municípios de Sigi, Totitoli e Gongalla.

No início, as autoridades autorizaram que a população levasse comida e água de lojas e supermercados, enquanto a ajuda humanitária não havia chegado à região, mas esse tipo de ação não é mais permitida. O exército reforçou a segurança e colocou soldados postados em frente a estabelecimentos comerciais e aeroportos para evitar os saques na Indonésia.

O número de mortes subiu para 1.424 e ao menos 2.500 pessoas ficaram feridas, conforme informaram as autoridades locais nesta quinta-feira (4). O agravamento da situação no país se dá após tremor de 7,5 de magnitude e do tsunami que destruiu a ilha e outras cidades da costa, na última sexta-feira (28). Mais de 70 mil pessoas foram obrigadas a deixarem suas casas e estão vivendo em acampamentos enquanto aguardam por ajuda.

Polícia usuou bombas para evitar saques na Indonésia

Vulcão entrou em erupção em região atingida por terremoto e tsunami; saques na Indonésia são novo alerta
Reprodução/Twitter
Vulcão entrou em erupção em região atingida por terremoto e tsunami; saques na Indonésia são novo alerta

Quatro dias depois do desastre, o vulcão Sutopan entrou em erupção na mesma ilha . Em Palu, uma das cidades mais afetadas pelas catástrofes , caminhões militares e da agência de gestão de desastres precisam desviar de prédios e casas desabadas e trafegar por vias completamente destruídas para conseguir transportar suprimentos para as vítimas.

A Cruz Vermelha presta ajuda à população deslocada com a distribuição de cobertores e colchões que chegam à região por via marítima, segundo informou a organização. Na região de Palu, imóveis desabaram e as ruas e avenidas estão destruídas.  Bombeiros ainda tentam encontrar sobrevivetes sob os escombros. 

Leia também: Vídeo registra tsunami após terremoto de 7.5 graus na Indonésia; assista

Nessa quarta feira (3), a polícia local reagiu aos saques na Indonésia com tiros de advertência e gás lacrimogêneo para dispersar os moradores. O porta-voz da polícia, Dedi Prasetyo, afirmou que as prisões foram feitas, em sua maioria, por roubos de carros, motocicletas, cigarros, café e alimentos em cinco cidades da província de Celebes. O policial acredita que a manutenção da segurança é necessária para que seja retomada a atividade econômica na região. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.