Tamanho do texto

Segundo o xerife responsável pelo caso, uma funcionária da empresa seria a agressora e um dos mortos; ela estaria "descontente" com o trabalho

O xerife Jeffrey R. Gahler, do condado de Harford, não especificou quantas pessoas teriam morrido ou estariam feridas após o tiroteio
Reprodução
O xerife Jeffrey R. Gahler, do condado de Harford, não especificou quantas pessoas teriam morrido ou estariam feridas após o tiroteio

Um tiroteio foi relatado no centro de distribuição Rite Aid, em Aberdeen, no estado de Washington, nos Estados Unidos, na manhã desta quinta-feira (20), deixando mortos e feridos. Segundo o New York Times, a mulher responsável pelos tiros foi detida pela polícia e levado para o hospital. Porém, outras fontes de informação, como a CNN , apontaram que ela teria morrido no local após dar um tiro na própria cabeça.

Leia também: Tiroteio em evento de games nos Estados Unidos deixa ao menos 3 mortos

O xerife Jeffrey R. Gahler, do condado de Harford, não especificou quantas pessoas teriam morrido ou estariam feridas após o tiroteio . Contudo, reportagens da agência Associated Press (AP) e da CNN afirmam que há ao menos três mortos. A suspeita teve de ser hospitalizada e apresenta estado crítico de saúde, ainda segundo o xerife.

Uma fonte próxima à investigação disse que a agressora seria uma "funcionária descontente". Gahler confirmou a informação, apenas citando que se tratava de "empregada temporária", que teria chegado para o trabalho em seu horário normal antes de sair atirando.

Ela teria atirado contra pessoas do lado de fora do prédio e no chão do depósito. A polícia ainda está pesquisando as motivações para o crime, acrescentou ele.

A arma utilizada no ataque era um pistola Glock 9 mm, de acordo com a polícia, e pertence legalmente à agressora. “Não houve tiros feitos por oficiais que responderam ao incidente. E não acreditamos que haja ameaças adicionais”, afirmou Gahler.

A empresa Rite Aid emprega cerca de 1 mil pessoas no centro de distribuição, onde aconteceu o incidente nesta quinta-feira. Lá, produtos são recebidos de fabricantes e, na sequência, são processados para a entrega às lojas, segundo explicou Susan Henderson, porta-voz da companhia.

Leia também: Tiroteio em jornal dos EUA deixa ao menos cinco mortos em Maryland

Os tiros teriam iniciado na área de suporte da empresa de Aberdeen . “Nós estamos monitorando de perto o tiroteio horrível em Aberdeen”, disse o governador de Maryland, Larry Hogan. “Nossas orações estão com todos aqueles envolvidos, incluindo aos policiais”, completou.

Quatro pessoas com ferimentos foram levadas ao centro médico Johns Hopkins Bayview, em Baltimore. O médico Raymond Fang, diretor da área de trauma do hospital, falou em uma entrevista coletiva que os pacientes são adultos e parte deles teve de passar por cirurgia. Dr. Fang, contudo, não confirmou se, entre o grupo, estava o agressor.

“Para nós, são todos pacientes”, respondeu aos jornalistas.

Uma quinta pessoa foi transferida para o hospital Christiana, em Newark, em condições graves de saúde.

Leia também: Tiroteio em shopping de Nashville, nos Estados Unidos, mata uma pessoa

As autoridades receberam chamadas sobre o tiroteio no centro de distribuição por volta das 9h06 da manhã locais (5h06 em Brasília). Policiais teriam chegado ao local dentro de cinco minutos, de acordo com o xerife responsável pelo condado. A polícia do estado de Maryland e agentes federais acompanham as investigações sobre o caso, incluindo membros do FBI e da Agência Antidrogas e o Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.