Tamanho do texto

Ministério da Saúde do país declarou que amostras de cinco pacientes foram testadas, e o resultado de duas delas foi positivo para o vírus ebola; epidemia da febre na África Ocidental deixou mais de 11 mil pessoas mortas em 2014

Organizações como a OMS e o Médicos Sem Fronteiras viajaram para o epicentro do surto de ebola nesta terça-feira (8)
Reprodução/Shutterstock
Organizações como a OMS e o Médicos Sem Fronteiras viajaram para o epicentro do surto de ebola nesta terça-feira (8)


O governo da República Democrática do Congo declarou um novo surto do vírus ebola após testes confirmarem duas suspeitas. De acordo com nota da Organização Mundial da Saúde (OMS), 21 casos de febre hemorrágica – incluindo 17 mortes – foram registrados em Biroko, uma região de floresta equatorial no país, nas últimas cinco semanas.

Leia também: Trump anuncia retirada dos Estados Unidos de acordo nuclear com o Irã

O Ministério da Saúde do país explicou que cinco amostras foram enviadas ao Instituto Nacional de Pesquisas Biomédicas (INRB) em Kinshasa, sendo que o resultado de duas delas foi positivo para o vírus ebola . Todos os casos foram registrados no Centro Médico Ikoko Iponge, que, assim como outros hospitais de Biroko, dependem de instituições internacionais para aumentar suas funcionalidades.

“Nossa maior prioridade é ir a Biroko para trabalhar junto do governo da República Democrática do Congo e parceiros, a fim de reduzir a perda de vidas e sofrimentos relacionados ao novo surto da doença”, declarou Peter Salama, diretor-geral adjunto da OMS. “Trabalhar com parceiros e responder cedo, de forma coordenada, será vital para conter essa doença fatal”.

A primeira equipe da OMS, Médicos Sem Fronteiras e Divisão Provincial de Saúde viajaram nesta terça-feira (8) para a região com o objetivo de aumentar as investigações. “Nós vamos reunir mais amostras, conduzir um controle de pessoas que entraram em contato com o vírus , engajar as comunidades com mensagens de prevenção e controle e colocar em prática métodos de melhora na coleta e compartilhamento de dados”, disse Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS na África.

Este é o nono surto da doença na República Democrática do Congo desde que ela foi descoberta no país, em 1976. A condição é considerada endêmica na região, sendo que o último surto foi registrado em 2017, em Likati, e rapidamente controlada.

Leia também: Vídeo flagra explosão de ônibus e momentos de pânico no centro histórico de Roma

O vírus ebola

A doença é uma febre hemorrágica transmitida pelos contato com fluidos corporais infectados, como vômito, sangue, diarreia e suor. Inicialmente, a pessoa infectada apresenta febre, seguida de dores no corpo, na cabeça e na garganta.

Leia também: Atentado a bomba em mesquita deixa 17 mortos e 33 feridos no Afeganistão

Náuseas, vômitos e diarreias costumam preceder a pior fase do ebola , que é de sangramentos internos e da pele. Tais sintomas costumam aparecer antes de completados cinco dias da contaminação, porém, podem acontecer até o vigésimo primeiro dia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.