Tamanho do texto

Templo funcionava como centro de registro de eleitores e ficava no sudeste do país; até o momento não se sabe de quem foi a autoria do ataque

Ataque a mesquita deixou 17 mortos no Afeganistão, de acordo com fontes oficiais
Reprodução/ToloNews
Ataque a mesquita deixou 17 mortos no Afeganistão, de acordo com fontes oficiais

Um ataque contra uma mesquita no Afeganistão deixou 17 mortos e mais de 30 pessoas feridas neste domingo (6). A informação é das autoridades oficiais afegãs. No local, funciona um centro de registro de eleitores e fica na província de Khost, no sudeste do país.

Leia também: Opaq conclui missão para investigar suposto ataque químico em Duma, na Síria

A explosão no Afeganistão aconteceu por volta das 14h20, de acordo com o horário local, (6h50, em Brasília), na mesquita Yaqubi, conforme informou o porta-voz do governador da região, Taliban Mangal.

O templo foi usado como local de votação na última eleição presidencial e agora já desenvolve trabalho para as eleições parlamentares que acontecerão de 20 de outubro. Provavelmente a mesquita iria hospedar um colégio eleitoral no próximo pleito deste ano.

Até o momento, além das 17 mortes, 33 pessoas ficaram feridas. O número de vítimas ainda pode aumentar, segundo Mangal. Nenhum grupo radical assumiu a autoria do atentado, mas tanto o Talibã quanto o Estado Islâmico são contra eleições.

Leia também: Duas explosões deixam mortos e feridos em Cabul, capital do Afeganistão

Ataques recentes

Há duas semanas, outras duas explosões em centros de registro de eleitores também causaram vítimas, com mortes e dezenas de pessoas feridas, em meio ao que a Agência EFE chamou de “nova dinâmica de ataques insurgentes” contra alvos eleitorais.

Nesses episódios, 57 pessoas morreram e 119 ficaram feridas durante um atentado suicida contra um centro de registro de eleitores em Kabul. Enquanto isso, uma bomba colocada na estrada explodiu durante a passagem de um veículo perto de outro desses centros, no norte do país, provocando outras seis mortes.

O Afeganistão passa por um dos períodos mais sombrios desde o fim da missão de combate da Organização do Tratado do Atlântico Norte, em janeiro de 2015

Leia também: Entenda o que acontece na Síria e por que Trump ordenou novo bombardeio no país

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.