Tamanho do texto

Acordo teria sido fechado em reunião de mais de 2h em Hamburgo, na Alemanha, nesta sexta, segundo o secretário de Estado norte-americano

Encontro de Trump e Putin é o mais esperado do evento, que reúne as 20 maiores economias do mundo
Reprodução/Facebook/Bundesregierung
Encontro de Trump e Putin é o mais esperado do evento, que reúne as 20 maiores economias do mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fecharam um acordo de cessar-fogo na região sudeste da Síria durante uma reunião a portas fechadas nesta sexta-feira (7), em Hamburgo, na Alemanha. Os dois mandatários estão no país europeu para o encontro do G20.

Leia também: “Estamos fazendo voltar o desemprego”, diz Temer em vídeo após reunião do G20

Segundo o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, a trégua na região do país sírio já deve entrar em vigor na próxima segunda-feira (9). Os principais aliados dos Estados Unidos na região, Jordânia e Israel, teriam aprovado o acordo feito por Donald Trump e Vladimir Putin.

Caso seja obedecido o cessar-fogo, a guerra na Síria pode sofrer grande mudança. Os conflitos no país já ocorrem há mais de seis anos.  

Como a reunião foi a portas fechadas, às margens dos encontros oficiais do G20, os detalhes do que foi conversado foram divulgados horas depois por Tillerson. Segundo ele, que também estava presente no encontro, o cessar-fogo era um “acordo definido” e que poderia ser um precursor de uma cooperação mais profunda na região conflituosa.

“Esta foi nosso primeiro indício de que os EUA e a Rússia são capazes de trabalhar juntos”, disse. “Os dois líderes tiveram uma longa discussão sobre as outras áreas na Síria onde poderão trabalhar juntos”, acrescentou.

Leia também: 'Não existe crise econômica no Brasil', diz Michel Temer na Alemanha

Após o fim do encontro nesta sexta, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, que também esteve presente na reunião, disse que os EUA, a Rússia e a Jordânia emitiram um memorando conjunto sobre o estabelecimento de uma zona de desescalada militar no sudoeste do país.

“Os dois lados da moeda”

EUA e Rússia estão em blocos opostos nos conflitos armados na Síria. Enquanto os primeiros lideram a coalizão internacional, junto com a União Europeia, os russos tem sua coalizão com Irã e com o governo de Damasco.

Leia também: Trump e Putin se cumprimentam em primeiro encontro oficial cara a cara

Para o presidente russo, a manutenção do poder de Bashar al-Assad é muito importante, enquanto os países ocidentais defendem que o ditador sírio deveria sair imediatamente para que a paz possa ser negociada no país. Outro ponto que diferente o governo de Donald Trump e o de Vladimir Putin é o fato de que os ataques aéreos russos são feitos também contra os grupos rebeldes que lutam contra o mandatário e não apenas os considerados terroristas, como o Estado Islâmico e o Frente al-Nusra. 

    Leia tudo sobre: Donald Trump

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.